abadiaemfoco

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Reflexão da sexta-feira/Cidadão

Tá vendo aquele edifício moço?
Ajudei a levantar
Foi um tempo de aflição
Eram quatro condução
Duas pra ir, duas pra voltar
Hoje depois dele pronto
Olho pra cima e fico tonto
Mas me chega um cidadão
E me diz desconfiado, tu tá aí admirado
Ou tá querendo roubar?
Meu domingo tá perdido
Vou pra casa entristecido
Dá vontade de beber
E pra aumentar o meu tédio
Eu nem posso olhar pro prédio
Que eu ajudei a fazer

Tá vendo aquele colégio moço?
Eu também trabalhei lá
Lá eu quase me arrebento
Pus a massa fiz cimento
Ajudei a rebocar
Minha filha inocente
Vem pra mim toda contente
Pai vou me matricular
Mas me diz um cidadão
Criança de pé no chão
Aqui não pode estudar
Esta dor doeu mais forte
Por que que eu deixei o norte
Eu me pus a me dizer
Lá a seca castigava mas o pouco que eu plantava
Tinha direito a comer

Tá vendo aquela igreja moço?
Onde o padre diz amém
Pus o sino e o badalo
Enchi minha mão de calo
Lá eu trabalhei também
Lá sim valeu a pena
Tem quermesse, tem novena
E o padre me deixa entrar
Foi lá que cristo me disse
Rapaz deixe de tolice
Não se deixe amedrontar

Fui eu quem criou a terra
Enchi o rio fiz a serra
Não deixei nada faltar
Hoje o homem criou asas
E na maioria das casas
Eu também não posso entrar

Fui eu quem criou a terra
Enchi o rio fiz a serra
Não deixei nada faltar

Hoje o homem criou asas
E na maioria das casas
Eu também não posso entrar
(Zé Geraldo)



Eclesiástico 38/Em dia com a Bíblia

Honra o médico por causa da necessidade, pois foi o Altíssimo quem o criou.
(Toda a medicina provém de Deus), e ele recebe presentes do rei:
a ciência do médico o eleva em honra; ele é admirado na presença dos grandes.
O Senhor fez a terra produzir os medicamentos: o homem sensato não os despreza.
Uma espécie de madeira não adoçou o amargor da água? Essa virtude chegou ao conhecimento dos homens.
O Altíssimo deu-lhes a ciência da medicina para ser honrado em suas maravilhas;
e dela se serve para acalmar as dores e curá-las; o farmacêutico faz misturas agradáveis, compõe ungüentos úteis à saúde, e seu trabalho não terminará,
até que a paz divina se estenda sobre a face da terra.
Meu filho, se estiveres doente não te descuides de ti, mas ora ao Senhor, que te curará.
Afasta-te do pecado, reergue as mãos e purifica teu coração de todo o pecado.
Oferece um incenso suave e uma lembrança de flor de farinha; faze a oblação de uma vítima gorda.
Em seguida dá lugar ao médico, pois ele foi criado por Deus; que ele não te deixe, pois sua arte te é necessária.
Virá um tempo em que cairás nas mãos deles.
E eles mesmos rogarão ao Senhor que mande por meio deles o alívio e a saúde (ao doente) segundo a finalidade de sua vida.
Aquele que peca na presença daquele que o fez, cairá nas mãos do médico.
Meu filho, derrama lágrimas sobre um morto, e chora como um homem que sofreu cruelmente. Sepulta o seu corpo segundo o costume, e não descuides de sua sepultura.
Chora-o amargamente durante um dia, por causa da opinião pública, e depois consola-te de tua tristeza;
toma luto segundo o merecimento da pessoa, um dia ou dois, para evitar as más palavras.
Pois a tristeza apressa a morte, tira o vigor, e o desgosto do coração faz inclinar a cabeça.
A tristeza permanece quando (o corpo) é levado; e a vida do pobre é o espelho de seu coração.
Não entregues teu coração à tristeza, mas afasta-a e lembra-te do teu fim.
Não te esqueças dele, porque não há retorno; de nada lhe servirás e só causarás dano a ti mesmo.
Lembra-te da sentença que me foi dada: a tua será igual; ontem para mim, hoje para ti.
Na paz em que o morto entrou, deixa repousar a sua memória, e conforta-o no momento em que exalar o último suspiro.
A sabedoria do escriba lhe vem no tempo do lazer. Aquele que pouco se agita adquirirá sabedoria.

Que sabedoria poderia ter o homem que conduz a charrua, que faz ponto de honra aguilhoar os bois, que participa de seu labor, e só sabe falar das crias dos touros?
Ele põe todo o seu coração em traçar sulcos, e o seu cuidado é engordar novilhas.
Igualmente acontece com todo carpinteiro, todo arquiteto, que passa no trabalho os dias e as noites. Assim sucede àquele que grava as marcas dos sinetes, variando as figuras por um trabalho assíduo; que aplica todo o seu coração na imitação da pintura, e põe todo o cuidado no acabamento de seu trabalho.
Assim acontece com o ferreiro sentado perto da bigorna, examinando o ferro que vai moldar; o vapor do fogo queima as suas carnes, e ele resiste ao ardor da fornalha.
O barulho do martelo lhe fere o ouvido de golpes repetidos; seus olhos estão fixos no modelo do objeto.
Ele aplica o seu coração em aperfeiçoar a sua obra, e põe um cuidado vigilante em torná-la bela e perfeita.
O mesmo sucede com o oleiro que, entregue à sua tarefa, gira a roda com os pés, sempre cuidadoso pela sua obra; e todo o seu trabalho (visa a produzir) uma quantidade (determinada).
Com o seu braço dá forma ao barro, torna-o maleável com os pés,
aplica o seu coração em aperfeiçoar o verniz, e limpa o forno com muita diligência.
Todos esses artistas esperam (tudo) de suas mãos; cada um deles é sábio em sua profissão.
Sem eles nenhuma cidade seria construída,
nem habitada, nem freqüentada; mas eles mesmos não terão parte na assembléia,
não se sentarão nas cadeiras dos juízes, não entenderão as disposições judiciárias, não apregoarão nem a instrução nem o direito, nem serão encontrados a estudar as máximas.
Entretanto, sustentam as coisas deste mundo. Sua oração se refere aos trabalhos de sua arte; a eles aplicam sua alma, e estudam juntos a lei do Altíssimo.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

REMEMBER TIP TOP - TOP DE LINHA

(Foto do acervo do amigo Márcio Teixeira)
Uma das mais esperadas festas do ano acontece neste fim de semana (sábado - 16/09) no Espaço Clube do Abadia com a maestria do DJ Alair Luiz de Freitas (LIGA).
O Remember Tip Top nos levará de volta ao tempo da discoteca, das músicas lentas, dos passinhos; passando também por Michael Jackson, Kaoma, RPM, Lobão, Beatles e tantos outros "gênios" da música pop brasileira e internacional.
Um tempo de nostalgia, onde brincávamos  com a "Noite da Maria Cebola" (onde a mulher é que chamava o homem para dançar); soltávamos a voz no animado "Karaokê" e romantizávamos o lugar através dos bilhetinhos do "Correio Sentimental". Isso sem falar nas diversas gincanas e brincadeiras que o Liga organizava para animar ainda mais nossos fins de semana.
Lembrar do Tip Top, em suas noites de alegria para a galera martinho-campense é como abrir um lindo livro de recordações com enredo e personagens  de primeira linha (Liga, Sílvia, Ari, Tatico, Chico, Ivan, Cidinha, Juninho, Chicão,  Edivânia, e muitos outros que me fogem à memória).
Por isso, nada mais interessante do que revivermos aqueles tempos no Remember Tip Top, desde os primeiros acordes dos Incríveis com seu "O Milionário" até a "Hora da Ave Maria".
Parabéns Liga por este evento que traz novidades para a nova geração e saudosismo aos mais experientes.
Abaixo uma palinha do show:







Esporte na cidade



Em outubro, precisamente entre os dias 11 e 15, teremos a realização da "VII Copa de Handebol de Martinho Campos".
O evento será coordenado pela Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Turismo.
Vamos prestigiar um dos esportes mais disputados em nosso município.


Resultado de imagem para handebol i

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Oportunidade na Saúde Municipal

A Prefeitura Municipal de Martinho Campos torna público o Processo Seletivo Simplificado para o fim de formação de Cadastro de Reserva para contratação temporária de pessoal para desempenho de serviços essenciais ao atendimento em saúde, em atendimento as necessidades do Município de Martinho Campos, MG.
Os interessados em participar do Processo Seletivo devem procurar a sede da Secretaria Municipal de Saúde, situada na Rua Padre Marinho, número 820, Centro, Martinho Campos, MG, no período de 05/10/2017 a 11/10/2017 em dias úteis.
Para mais informações faça o download (link abaixo) do Edital.

Eclesiástico 34/Em dia com a Bíblia


Todo amigo diz: Eu também contraí amizade. Há porém um amigo que só o é de nome. Não é uma dor que dura até a morte
ver um amigo e um companheiro mudarem-se em inimigos?
Ó presunção criminosa, onde tiveste origem, para cobrir a terra com tua malícia e tua perfídia?
O amigo distrai-se com seu amigo nas suas alegrias; no dia da tribulação, tornar-se-á seu adversário.
O amigo compartilha da desventura do seu amigo no interesse de seu ventre; ao ver o inimigo, tomará do escudo.
Não te esqueças de teu amigo nos teus pensamentos; no meio da riqueza, não percas a sua lembrança.
Não te aconselhes com aquele que te arma um laço. Esconde tuas intenções àqueles que te têm inveja.
Todo conselheiro dá sua opinião, mas há conselheiros que só têm em vista o próprio interesse.
Estejas prevenido quando tratar-se de um conselheiro; informa-te primeiro quais são os seus interesses, pois ele pensa em si mesmo antes de tudo.
Teme que ele plante uma estaca no solo e te diga:
Estás no bom caminho, enquanto se põe defronte para ver o que te acontecerá.
Vai consultar um homem sem religião sobre as coisas santas; um injusto sobre a justiça; uma mulher sobre sua rival; um tímido sobre a guerra; um mercador sobre o negócio; um comprador sobre uma coisa para vender; um invejoso sobre a gratidão;
um ímpio sobre a piedade; um homem desonrado sobre a honestidade; um lavrador sobre o seu trabalho;
um operário, contratado por um ano, sobre o término de seu contrato; um criado preguiçoso sobre uma grande tarefa! Não confies neles e em nenhum de seus conselhos.
Sê, porém, assíduo junto a um santo homem, quando conheceres um que seja fiel ao temor de Deus,
cuja alma se irmana à tua, e que compartilhará da tua dor quando titubeares nas trevas.
Fortalece em ti um coração prudente, pois nada tem mais valor para ti.
A alma de um santo homem descobre às vezes melhor a verdade que sete sentinelas postas em observação numa colina.
Mas em todas as coisas ora ao Altíssimo, para que ele dirija teus passos na verdade.
Que uma palavra de verdade preceda todos os teus atos, e um conselho firme preceda toda a tua diligência.
Uma palavra má transtorna o coração; dela vêm quatro coisas: o bem e o mal, a vida e a morte; sobre estas quem domina de contínuo é a língua. Há homem hábil que ensina a muita gente, mas que é inútil para si mesmo.
Outro é esclarecido e instrui a muitos, e é agradável a si próprio.
Aquele que afeta sabedoria nas palavras é odioso; ficará desprovido de tudo.
Não recebeu o favor do Senhor, pois é desprovido de toda a sabedoria.
Há um sábio que é sábio para si mesmo, e os frutos de sua sabedoria são verdadeiramente louváveis.
O sábio ensina o seu povo, e os frutos de sua sabedoria são duradouros.
O homem sábio será cumulado de bênçãos. Aqueles que o virem o louvarão.
A vida do homem conta poucos dias, mas os dias de Israel são inúmeros.
O sábio herdará a honra no meio do povo, e o seu nome viverá eternamente.
Meu filho, experimenta tua alma durante tua vida; se o poder lhe for nefasto, não lho dês,
pois nem tudo é vantajoso para todos, e todos não se comprazem nas mesmas coisas.
Nunca sejas guloso em banquete algum; não te lances sobre tudo o que se serve,
pois o excesso no alimento é causa de doença, e a intemperança leva à cólica.
Muitos morreram por causa de sua intemperança, o homem sóbrio, porém, prolonga sua vida.

Reflexão da sexta-feira/Intuição

Devemos sempre dominar a nossa impressão perante o que é presente e intuitivo. Tal impressão, comparada ao mero pensamento e ao mero conhecimento, é incomparavelmente mais forte; não devido à sua matéria e ao seu conteúdo, amiúde bastante limitados, mas à sua forma, ou seja, à sua clareza e ao seu imediatismo, que penetram na mente e perturbam a sua tranquilidade ou atrapalham os seus propósitos. Pois o que é presente e intuitivo, enquanto facilmente apreensível pelo olhar, faz efeito sempre de um só golpe e com todo o seu vigor. 
Ao contrário, pensamentos e razões requerem tempo e tranquilidade para serem meditados parte por parte, logo, não se pode tê-los a todo o momento e integralmente diante de nós. Em virtude disso, deve-se notar que a visão de uma coisa agradável, à qual renunciamos pela ponderação, ainda nos atrai. Do mesmo modo, somos feridos por um juízo cuja inteira incompetência conhecemos; somos irritados por uma ofensa de carácter reconhecidamente desprezível; e, do mesmo modo, dez razões contra a existência de um perigo caem por terra perante a falsa aparência da sua presença real, e assim por diante.
Em tudo se faz valer a irracionalidade originária do nosso ser.
(Arthur Schopenhauer)