abadiaemfoco

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Dia do apicultor

Nesta semana, precisamente no dia 22, comemoraremos o dia do apicultor.
O apicultor cria abelhas por hobby ou para comercializar os produtos que são extraídos da colmeia como mel, cera, própolis e geleia real. A apicultura é uma das atividades mais lucrativas da pecuária, e o clima brasileiro é favorável ao cultivo.
Origem do Dia do Apicultor
O Dia do Apicultor é celebrado no dia 22 de maio porque é no mesmo dia de Santa Rita de Cássia, conhecida por ser padroeira do apicultores.
Parabéns a todos apicultores de nossa região.
Resultado de imagem para dia do apicultor

Uso dos porquês

Professor Pasquale responde:


"Por que" separado

“O ‘por que’ separado sempre pode embutir a palavra ‘razão’ ou a palavra ‘motivo’”, explica o professor.
Isso vale para perguntas diretas - “Por que você não foi?" vira "Por que razão você não foi?" e "Por que você não pagou a conta?" vira "Por que motivo você não pagou a conta?".
E também para frases terminadas com ponto final - “Você sabe por que eu ajo assim” vira “Você sabe por qual razão eu ajo assim” ou “Você sabe por qual motivo eu ajo assim”.
“E existe ainda um outro ‘por que’ separado", acrescenta Pasquale. “Lembra aquela música? ‘Só eu sei as esquinas por que passei’, lembra?”.
Com esse exemplo, ele explica que o “por que” também é separado quando equivale a "pelo qual", "pela qual", "pelos quais", "pelas quais".
No caso da música, a letra também poderia ser: “Só eu sei as esquinas pelas quais passei”.

"Porque" junto

O “porque” junto é uma conjunção que indica causa, motivo, justificativa ou explicação.
Um exemplo: "Eu não fui porque estava doente".
De acordo com o professor, "Porque estava doente" é a oração que indica a razão pela qual ele não foi.
Nesses casos, o “porque” é junto e sem acento.
Com isso, é possível existir “porque” junto mesmo em frases que terminam com interrogação, como esta: “Será que ela está chateada comigo porque eu não fui ao aniversário dela?”
Alguns professores recomendam tentar trocar o "porque" junto por "pois". Se der certo, está correto o uso do "porque" junto.

"Por quê" separado com acento

O “por quê” separado e com acento é um “por que” separado localizado antes de uma pausa na fala ou na escrita.
“É preciso que haja uma pausa, um ponto final, um ponto de interrogação..." explica Pasquale.
Exemplo: “Por quê?”
Só isso. É o mesmo que perguntar "Por qual razão?", "Por qual motivo?".
De acordo com o professor, esse "quê" vira tônico na entonação. Assim, quando há um “por que” separado encerrando uma frase, ele ganha o acento e passa a ser “por quê”.

"Porquê" junto com acento

Nesse caso, o “porque” vira sinônimo da palavra "motivo".
O professor exemplifica: “Qual é o porquê de tanta tristeza?".
É o mesmo que perguntar “Qual é o motivo de tanta tristeza?".
(Reportagem: Paula Reverbel)

domingo, 19 de maio de 2019

Atlético vence

O Atlético Mineiro venceu mais uma partida. Desta vez contra o Flamengo. Foi um jogo muito difícil e ainda tivemos uma expulsão (Elias) o que quase comprometera o andamento do confronto.
Mas, enfim, vencemos e agora estamos na vice liderança do campeonato.
O importante é manter a pegada e ganhar mais partidas para alavancar o posto mais alto.
Sempre com fé e esperança.
Vamos que vamos Galo.

sábado, 18 de maio de 2019

Política

Tenho visto muito, principalmente em redes sociais, o antagonismo entre "esquerda" e "direita" em nosso país, dividindo muitas pessoas, inclusive famílias e induzindo muitos à agressividade verbal.
Muitos assuntos tratados como sérios são Fake News e portanto irrelevantes. Todavia, muitas coisas são reais e precisam sim serem debatidas e cobradas do governo, seja ele federal, estadual ou municipal.
Interessantre que muitos ali são "doutores " em todos os temas (educação, saúde, agricultura, economia...) pois formulam respostas e/ou copiam da internet como se fossem unanimidade. Contestados se iram contra os contestadores. Muito triste isso, pois demonstra nossa falta de maturidade em se tratando de política.
A internet e consequentemente todas as mídias sociais deveriam ser uma ferramenta de auxílio para nosso desenvolvimento e não uma arma para destilarmos veneno.
Cobrar sim, mas ofender jamais.
Inquietante é que cada passo que o presidente dá, cada palavra e cada ação são tratados como adversidades e ele está sempre na mira da mídia (muitas vezes com armações e palavras colocadas), parecendo que ele nem humano é. Óbvio que ele tem ideias que não concordamos. Todavia isso pode ser revisto nas votações da Câmara e do Senado. E se ele persistir em erros, "Impeachment.."
Mas a verdade é que devemos esperar o tempo e as ações positivas certamente virão para o Brasil, Minas e nossas cidades. 
Também é necessário vigiar e cobrar de nossos deputados para que votem no que é certo e vetem no que for errado. Assim se constrói uma democracia.
Enfim, devemos deixar de lado desavenças e "mimimi" por causa de eleições e antagonismos políticos. Pois o país precisa crescer e voltar a funcionar. Temos milhões de brasileiros esperançosos com um futuro melhor.

Destarte, pratiquemos a política e que a máquina à nossa frente seja um instrumento de debates, amizades e diversão.
E viva o Brasil!

Esse Geriowaldo...


Os dois amigos mais famosos da Badia (Zé Cagueiteiras e Geriwaldo) vão a uma empresa de sabão em busca de emprego. Na hora da entrevista oZé é perguntado:
- O que você sabe fazer?
E o Zé responde:
- Não sei fazer nada.
O entrevistador pergunta ao outro:
- E você, o que faz?
E o geriowaldo responde responde:
- Sou o ajudante dele.
----------------------------------------------------------------------------
O rapaz apaixonado diz para sua amada:
- Eu posso não ser rico, não ter dinheiro, apartamentos de luxo, carros importados ou empresas, como o meu amigo Geriowaldo (o herói da Badia), mas te amo muito, você é minha vida.
Ela o observa, com lágrimas nos olhos, o abraça e diz bem baixinho no ouvido dele:
- Se você me ama de verdade, me apresente este Geriowaldo.
-------------------------------------------------------------------------------
Geriowaldo e o compadre Zé Cagueiteria conversando:

_  Eu frequento a academia tem mais de um ano! Dizia o Gê!
O Zé assustado pergunta:
- E por que você continua tão gordo?
- Ora, porque eu não faço os exercícios, só frequento mesmo.


Momento nostalgia/Pesacaria na fazenda do Paulo do "Sinhô"

Nos anos 90, a galera da badia tinha inúmeras opções de diversão por aqui. E nossa turma não ficava atrás (os Anjos do Inferno). 
Uma das diversões do fim de semana mais envolvente era, sem dúvida, a pescaria no Velho Chico, precisamente onde o Rio faz a curva lá na fazenda do Paulo do "Sinhô".
A gente se reunia , montava os apetrechos e pegava as iscas, rumando para as águas "piscosas" do Velho Chico.
Lá chegando, adentrávamos na canoa e pescávamos muitos mandis. Às vezes umas "curvinas", umas "vovozinhas" e umas piabinhas.
Depois passávamos na casa do Paulo e junto com o Júlio, seu filho, batíamos um "cartiado" de truco , bebericando umas até altas horas.
Tinha dia que até o Olavo do Zé do Zeca ia também, contar seus causos para nós.
Uma diversão sadia e muito prazerosa.
E para lembrar ainda mais daqueles tempos, vamos ouvir dois sucessos da época de presente para vocês.



Agora a nacional


Em dia com a Bíblia/Lucas 2


E aconteceu naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse
(Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria).
E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade.
E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi),
A fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.
E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.
E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.
Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.
E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.
E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:
Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.
E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.
E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:
Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.
E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos fez saber.
E foram apressadamente, e acharam Maria, e José, e o menino deitado na manjedoura.
E, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita;
E todos os que a ouviram se maravilharam do que os pastores lhes diziam.
Mas Maria guardava todas estas coisas, conferindo-as em seu coração.
E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes havia sido dito.
E, quando os oito dias foram cumpridos, para circuncidar o menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, que pelo anjo lhe fora posto antes de ser concebido.
E, cumprindo-se os dias da purificação dela, segundo a lei de Moisés, o levaram a Jerusalém, para o apresentarem ao Senhor
(Segundo o que está escrito na lei do Senhor: Todo o macho primogênito será consagrado ao Senhor);
E para darem a oferta segundo o disposto na lei do Senhor: Um par de rolas ou dois pombinhos.
Havia em Jerusalém um homem cujo nome era Simeão; e este homem era justo e temente a Deus, esperando a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele.
E fora-lhe revelado, pelo Espírito Santo, que ele não morreria antes de ter visto o Cristo do Senhor.
E pelo Espírito foi ao templo e, quando os pais trouxeram o menino Jesus, para com ele procederem segundo o uso da lei,
Ele, então, o tomou em seus braços, e louvou a Deus, e disse:
Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, Segundo a tua palavra;
Pois já os meus olhos viram a tua salvação,
A qual tu preparaste perante a face de todos os povos;
Luz para iluminar as nações, E para glória de teu povo Israel.
E José, e sua mãe, se maravilharam das coisas que dele se diziam.
E Simeão os abençoou, e disse a Maria, sua mãe: Eis que este é posto para queda e elevação de muitos em Israel, e para sinal que é contraditado
(E uma espada traspassará também a tua própria alma); para que se manifestem os pensamentos de muitos corações.
E estava ali a profetisa Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Esta era já avançada em idade, e tinha vivido com o marido sete anos, desde a sua virgindade;
E era viúva, de quase oitenta e quatro anos, e não se afastava do templo, servindo a Deus em jejuns e orações, de noite e de dia.
E sobrevindo na mesma hora, ela dava graças a Deus, e falava dele a todos os que esperavam a redenção em Jerusalém.
E, quando acabaram de cumprir tudo segundo a lei do Senhor, voltaram à Galiléia, para a sua cidade de Nazaré.
E o menino crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.
Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa;
E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.
E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o soube José, nem sua mãe.
Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia, e procuravam-no entre os parentes e conhecidos;
E, como o não encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele.
E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os.
E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas.
E quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos.
E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?
E eles não compreenderam as palavras que lhes dizia.
E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. E sua mãe guardava no seu coração todas estas coisas.
E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.


Publicações no Diário Oficial - recentes


18/05
PREFEITURA MUNICIPAL DE MARTINHO CAMPOS/MG. Aviso de Licitação. Processo Licitatório nº 030/2019 Pregão Presencial RP nº 020/2019. Objeto: Registro de Preços para futura e eventual aquisição de material para prática esportiva. Data: 04 de Junho de 2019 ás 9:00 horas. O edital e anexos estão disponíveis no site: www.martinhocampos.mg.gov.br . Maiores informações: (37)3524-1273.

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARTINHO CAMPOS/MG: Contrato nº 018/2019 que entre si celebram o Município de Martinho Campos e a empresa ÚNICO MULT EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS LTDA EPP, no valor global estimado de R$ 400.000,00 (Quatrocentos mil reais). Referente ao Processo Licitatório nº 028/2019 Pregão Presencial nº 018/2019 Adesão nº 001/2019 referente ao Processo Licitatório nº 076/2018 Pregão Eletrônico nº 03/2018 Registro de Preços nº 04/2018, Ata de Registro de Preços nº 001/2019 do COMASF (Consórcio de Municípios do Alto São Francisco) onde o Município de Martinho Campos é Partícipe. José Hailton de Freitas – Prefeito Municipal

17/05
PREFEITURA MUNICIPAL DE MARTINHO CAMPOS/MG: Primeiro Termo Aditivo a Ata de Registro de Preços nº 014/2019 referente ao Processo Licitatório nº 002/2019 Pregão Presencial RP nº 002/2019, firmado com a empresa SKALLA AUTO POSTO LTDA. Fica reajustado o valor do Diesel S-10 para R$ 3,75 (Três reais e setenta e cinco centavos), a partir de 01 de Maio de 2019. José Hailton de Freitas – Prefeito Municipal. 

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARTINHO CAMPOS/MG: Primeiro Termo Aditivo a Ata de Registro de Preços nº 016/2019 referente ao Processo Licitatório nº 002/2019 Pregão Presencial RP nº 002/2019, firmado com a empresa SKALLA AUTO POSTO LTDA. Fica reajustado o valor do Diesel S-500 (Comum) para R$ 3,69 (Três reais e sessenta e nove centavos), a partir de 01 de Maio de 2019. José Hailton de Freitas – Prefeito Municipal

15/05
CÂMARA MUNICIPAL DE MARTINHO CAMPOS. AVISO DE PRORROGAÇÃO DE LICITAÇÃO Nº 003/2019. A Câmara de Martinho Campos, através de seu Pregoeiro, torna público a prorrogação do Edital dePREGÃO PRESENCIAL Nº 003/2019, passando a sua abertura para o dia 27/05/2019 no mesmo horário e local. Inf. pelo telefone (37) 3524 1136. BRUNO H G BARBOSA – Porta- ria 04/2019


Informe do Diário: Escola Caxixó:
18/05
A Caixa Escolar Ensino Fundamental, realizará Chamada Pública 05/2019 para Aquisição de Gêneros Alimentícios da Agricultura Fami- liar, do Empreendedor Rural ou de suas organizações para Alimentação Escolar. Os grupos Formais e Informais deverão apresentar a documen- tação prevista no art. 27 da Resolução FNDE nº 26/13, alterada pela Resolução FNDE nº 04/15, para habilitação e Projeto de Venda até o dia 10/06/2019, às 14:00, na EE Indígena Caxixó Taoca Sérgia, locali- zada na Comunidade Capão do Zezinho, s/ n.º, Zona Rural – Martinho Campos - MG, CEP 35606-000 – Tel. (37) 3524-6192, e-mail: esco- la.322865@educacao.mg.gov.br Os quantitativos e gêneros alimentí- cios estão disponíveis na página da Internet http://www.portaldaagri- culturafamiliar.mg.gov.br/ TC 918434/2019 

A Caixa Escolar Ensino Fundamental, realizará Chamada Pública 06/2019 para Aquisição de Gêneros Alimentícios da Agricultura Fami- liar, do Empreendedor Rural ou de suas organizações para Alimentação Escolar. Os grupos Formais e Informais deverão apresentar a documen- tação prevista no art. 27 da Resolução FNDE nº 26/13, alterada pela Resolução FNDE nº 04/15, para habilitação e Projeto de Venda até o dia 10/06/2019, às 15:00, na EE Indígena Caxixó Taoca Sérgia, locali- zada na Comunidade Capão do Zezinho, s/ n.º, Zona Rural – Martinho Campos - MG, CEP 35606-000 – Tel. (37) 3524-6192, e-mail: esco- la.322865@educacao.mg.gov.br Os quantitativos e gêneros alimentí- cios estão disponíveis na página da Internet http://www.portaldaagri- culturafamiliar.mg.gov.br/ TC 921997/2019

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Reflexão da sexta-feira

Sete pecados sociais: política sem princípios, riqueza sem trabalho, prazer sem consciência, conhecimento sem caráter, comércio sem moralidade, ciência sem humanidade e culto sem sacrifício.
(Gandhi)

domingo, 12 de maio de 2019

A árvore cansada da Praça

Uma árvore cai, triste, aos poucos, pela idade e condições climáticas, na Praça da Matriz, em frente à Avenida Principal de nossa querida "Badia".
Quantas lembranças esta árvore deve trazer em sua bagagem, em sua vida neste mundo gigante de Deus! Quantos momentos abadienses ela presenciou ali, na sua imobilidade viva e pujante! Quantas pessoas por ela passaram e apreciaram suas belezas!

Esta árvore foi cúmplice de muitos encontros e desencontros nesta praça. Foi testemunha de fatos e feitos que sequer imaginamos, principalmente nas noites escuras de junho e em momentos de alegrias!
Hoje ela agoniza em seus momentos de existência, trazendo a nostalgia de tempos áureos.
Assim é a vida , assim é o mundo. 
Em contrapartida outras árvores estão crescendo ali, próximas e em outras áreas da praça, trazendo esperança e boas novas aos martinho-campenses. 
Cada planta, cada árvore, cada banco da praça têm suas histórias, suas curiosidades e seus segredos. Todas fazem parte de nosso ecossistema vital. Preservemos sempre! 



sexta-feira, 10 de maio de 2019

Reflexão da sexta-feira

"Existe uma coisa que uma longa existência me ensinou: toda a nossa ciência, comparada à realidade, é primitiva e inocente; e, portanto, é o que temos de mais valioso."


terça-feira, 7 de maio de 2019

Em dia com a Bíblia/Lucas 1


Tendo, pois, muitos empreendido pôr em ordem a narração dos fatos que entre nós se cumpriram,
Segundo nos transmitiram os mesmos que os presenciaram desde oprincípio, e foram ministros da palavra,
Pareceu-me também a mim conveniente descrevê-los a ti, ó excelente Teófilo, por sua ordem, havendo-me já informado minuciosamente de tudo desde o princípio;
Para que conheças a certeza das coisas de que já estás informado.
Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão; e o seu nome era Isabel.
E eram ambos justos perante Deus, andando sem repreensão em todos os mandamentos e preceitos do Senhor.
E não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e ambos eram avançados em idade.
E aconteceu que, exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem da sua turma,
Segundo o costume sacerdotal, coube-lhe em sorte entrar no templo do Senhor para oferecer o incenso.
E toda a multidão do povo estava fora, orando, à hora do incenso.
E um anjo do Senhor lhe apareceu, posto em pé, à direita do altar do incenso.
E Zacarias, vendo-o, turbou-se, e caiu temor sobre ele.
Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João.
E terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento,
Porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe.
E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus,
E irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto.
Disse então Zacarias ao anjo: Como saberei isto? pois eu já sou velho, e minha mulher avançada em idade.
E, respondendo o anjo, disse-lhe: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado a falar-te e dar-te estas alegres novas.
E eis que ficarás mudo, e não poderás falar até ao dia em que estas coisas aconteçam; porquanto não creste nas minhas palavras, que a seu tempo se hão de cumprir.
E o povo estava esperando a Zacarias, e maravilhava-se de que tanto se demorasse no templo.
E, saindo ele, não lhes podia falar; e entenderam que tinha tido uma visão no templo. E falava por acenos, e ficou mudo.
E sucedeu que, terminados os dias de seu ministério, voltou para sua casa.
E, depois daqueles dias, Isabel, sua mulher, concebeu, e por cinco meses se ocultou, dizendo:
Assim me fez o Senhor, nos dias em que atentou em mim, para destruir o meu opróbrio entre os homens.
E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré,
A uma virgem desposada com um homem, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria.
E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres.
E, vendo-o ela, turbou-se muito com aquelas palavras, e considerava que saudação seria esta.
Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus.
E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus.
Este será grande, e será chamado filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai;
E reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.
E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum?
E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.
E eis que também Isabel, tua prima, concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril;
Porque para Deus nada é impossível.
Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.
E, naqueles dias, levantando-se Maria, foi apressada às montanhas, a uma cidade de Judá,
E entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel.
E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo.
E exclamou com grande voz, e disse: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre.
E de onde me provém isto a mim, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor?
Pois eis que, ao chegar aos meus ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria no meu ventre.
Bem-aventurada a que creu, pois hão de cumprir-se as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas.
Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor,
E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador;
Porque atentou na baixeza de sua serva; Pois eis que desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada,
Porque me fez grandes coisas o Poderoso; E santo é seu nome.
E a sua misericórdia é de geração em geração Sobre os que o temem.
Com o seu braço agiu valorosamente; Dissipou os soberbos no pensamento de seus corações.
Depôs dos tronos os poderosos, E elevou os humildes.
Encheu de bens os famintos, E despediu vazios os ricos.
Auxiliou a Israel seu servo, Recordando-se da sua misericórdia;
Como falou a nossos pais, Para com Abraão e a sua posteridade, para sempre.
E Maria ficou com ela quase três meses, e depois voltou para sua casa.
E completou-se para Isabel o tempo de dar à luz, e teve um filho.
E os seus vizinhos e parentes ouviram que tinha Deus usado para com ela de grande misericórdia, e alegraram-se com ela.
E aconteceu que, ao oitavo dia, vieram circuncidar o menino, e lhe chamavam Zacarias, o nome de seu pai.
E, respondendo sua mãe, disse: Não, porém será chamado João.
E disseram-lhe: Ninguém há na tua parentela que se chame por este nome.
E perguntaram por acenos ao pai como queria que lhe chamassem.
E, pedindo ele uma tabuinha de escrever, escreveu, dizendo: O seu nome é João. E todos se maravilharam.
E logo a boca se lhe abriu, e a língua se lhe soltou; e falava, louvando a Deus.
E veio temor sobre todos os seus vizinhos, e em todas as montanhas da Judéia foram divulgadas todas estas coisas.
E todos os que as ouviam as conservavam em seus corações, dizendo: Quem será, pois, este menino? E a mão do Senhor estava com ele.
E Zacarias, seu pai, foi cheio do Espírito Santo, e profetizou, dizendo:
Bendito o Senhor Deus de Israel, Porque visitou e remiu o seu povo,
E nos levantou uma salvação poderosa Na casa de Davi seu servo.
Como falou pela boca dos seus santos profetas, desde o princípio do mundo;
Para nos livrar dos nossos inimigos e da mão de todos os que nos odeiam;
Para manifestar misericórdia a nossos pais, E lembrar-se da sua santa aliança,
E do juramento que jurou a Abraão nosso pai,
De conceder-nos que, Libertados da mão de nossos inimigos, o serviríamos sem temor,
Em santidade e justiça perante ele, todos os dias da nossa vida.
E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo, Porque hás de ir ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos;
Para dar ao seu povo conhecimento da salvação, Na remissão dos seus pecados;
Pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus, Com que o oriente do alto nos visitou;
Para iluminar aos que estão assentados em trevas e na sombra da morte; A fim de dirigir os nossos pés pelo caminho da paz.
E o menino crescia, e se robustecia em espírito. E esteve nos desertos até ao dia em que havia de mostrar-se a Israel.


Eleição para diretor na Escola Indígena

Saiu a resolução ( RESOLUÇÃO SEENº4.129, DE 03 DE MAIO DE2019.)que trata da escolha de diretor e à função de vice para a Escola Estadual Taoca Sérgia, na comunidade indígena do Capão do Zezinho. Pòderão concorrer aos cargos  os membros da comunidade que trabalham na escola há mais de um ano e tenham formação, além de outros requisitos conforme prevê a legislação.


Seguem alguns trechos da Resolução:

RESOLUÇÃO SEENº4.129, DE 03 DE MAIO DE2019. Estabelece normas para escolha de servidor ao cargo de diretor e à função de vice-diretor de escola estadual atendendo de forma específica e diferenciada às comunidades indígenas de Minas Gerais e trata de outros dispositivos correlatos
 ......
Art. 8º - Poderá candidatar-se ao cargo de diretor ou a função de vice-diretor de escola estadual indígena, o servidor que comprove: 
I - ser indígena e membro da comunidade indígena atendida pela escola; 
II - ser Professor de Educação Básica (PEB) ou Especialista em Educação Básica (EEB), detentor de cargo efetivo ou de função pública estável ou designado para o exercício de função pública;
 III - possuir curso de Pedagogia plena ou licenciatura plena ou Bacharel/Tecnólogoacrescido de Formação Pedagógica de Docentesou curso Normal de nível médio;
 IV - estar em exercício e comprovar tempo de exercício por no mínimo, 01 (um) ano, ininterrupto ou não, computado nos últimos 5 (cinco) anos anteriores à data da inscrição, no cargo de PEB ou EEB, na escola para a qual pretende candidatar-se; 
V - estar em situação regular junto à Receita Federal do Brasil; 
VI - estar apto a exercer plenamente a presidência da Caixa Escolar, em especial a movimentação financeira e bancária; 
VII - estar em dia com as obrigações eleitorais; 
VIII - não estar, nos 5 (cinco) anos anteriores à data da escolha para o cargo ou função, sofrendo efeitos de sentença penal condenatória; 
IX - não ter sido penalizado em processo administrativo disciplinar em órgão integrante da Administração Pública direta ou indireta, nos 5 (cinco) anos anteriores à data da escolha para o cargo ou função, observado, no que couber, o disposto no artigo 29 da Lei nº 21.710, de 30 de junho 
.........