abadiaemfoco

sexta-feira, 31 de maio de 2019

Reflexão da sexta-feira

Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho. Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!
(Machado de Assis)

terça-feira, 28 de maio de 2019

Em dia com a Bíblia/Lucas 3


E no ano quinze do império de Tibério César, sendo Pôncio Pilatos presidente da Judéia, e Herodes tetrarca da Galiléia, e seu irmão Filipe tetrarca da Ituréia e da província de Traconites, e Lisânias tetrarca de Abilene,
Sendo Anás e Caifás sumos sacerdotes, veio no deserto a palavra de Deus a João, filho de Zacarias.
E percorreu toda a terra ao redor do Jordão, pregando o batismo de arrependimento, para o perdão dos pecados;
Segundo o que está escrito no livro das palavras do profeta Isaías, que diz: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; Endireitai as suas veredas.
Todo o vale se encherá, E se abaixará todo o monte e outeiro; E o que é tortuoso se endireitará, E os caminhos escabrosos se aplanarão;
E toda a carne verá a salvação de Deus.
Dizia, pois, João à multidão que saía para ser batizada por ele: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira que está para vir?
Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não comeceis a dizer em vós mesmos: Temos Abraão por pai; porque eu vos digo que até destas pedras pode Deus suscitar filhos a Abraão.
E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não dá bom fruto, corta-se e lança-se no fogo.
E a multidão o interrogava, dizendo: Que faremos, pois?
E, respondendo ele, disse-lhes: Quem tiver duas túnicas, reparta com o que não tem, e quem tiver alimentos, faça da mesma maneira.
E chegaram também uns publicanos, para serem batizados, e disseram-lhe: Mestre, que devemos fazer?
E ele lhes disse: Não peçais mais do que o que vos está ordenado.
E uns soldados o interrogaram também, dizendo: E nós que faremos? E ele lhes disse: A ninguém trateis mal nem defraudeis, e contentai-vos com o vosso soldo.
E, estando o povo em expectação, e pensando todos de João, em seus corações, se porventura seria o Cristo,
Respondeu João a todos, dizendo: Eu, na verdade, batizo-vos com água, mas eis que vem aquele que é mais poderoso do que eu, do qual não sou digno de desatar a correia das alparcas; esse vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.
Ele tem a pá na sua mão; e limpará a sua eira, e ajuntará o trigo no seu celeiro, mas queimará a palha com fogo que nunca se apaga.
E assim, admoestando-os, muitas outras coisas também anunciava ao povo.
Sendo, porém, o tetrarca Herodes repreendido por ele por causa de Herodias, mulher de seu irmão Filipe, e por todas as maldades que Herodes tinha feito,
Acrescentou a todas as outras ainda esta, a de encerrar João num cárcere.
E aconteceu que, como todo o povo se batizava, sendo batizado também Jesus, orando ele, o céu se abriu;
E o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como pomba; e ouviu-se uma voz do céu, que dizia: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo.
E o mesmo Jesus começava a ser de quase trinta anos, sendo (como se cuidava) filho de José, e José de Heli,
E Heli de Matã, e Matã de Levi, e Levi de Melqui, e Melqui de Janai, e Janai de José,
E José de Matatias, e Matatias de Amós, e Amós de Naum, e Naum de Esli, e Esli de Nagaí,
E Nagaí de Máate, e Máate de Matatias, e Matatias de Semei, e Semei de José, e José de Jodá,
E Jodá de Joanã, e Joanã de Resá, e Resá de Zorobabel, e Zorobabel de Salatiel, e Salatiel de Neri,
E Neri de Melqui, e Melqui de Adi, e Adi de Cosã, e Cosã de Elmadã, e Elmadã de Er,
E Er de Josué, e Josué de Eliézer, e Eliézer de Jorim, e Jorim de Matã, e Matã de Levi,
E Levi de Simeão, e Simeão de Judá, e Judá de José, e José de Jonã, e Jonã de Eliaquim,
E Eliaquim de Meleá, e Meleá de Mená, e Mená de Matatá, e Matatá de Natã, e Natã de Davi,
E Davi de Jessé, e Jessé de Obede, e Obede de Boaz, e Boaz de Salá, e Salá de Naassom,
E Naassom de Aminadabe, e Aminadabe de Arão, e Arão de Esrom, e Esrom Perez, e Perez de Judá,
E Judá de Jacó, e Jacó de Isaque, e Isaque de Abraão, e Abraão de Terá, e Terá de Nacor,
E Nacor de Seruque, e Seruque de Ragaú, e Ragaú de Fáleque, e Fáleque de Eber, e Eber de Salá,
E Salá de Cainã, e Cainã de Arfaxade, e Arfaxade de Sem, e Sem de Noé, e Noé de Lameque,
E Lameque de Matusalém, e Matusalém de Enoque, e Enoque de Jarete, e Jarete de Maleleel, e Maleleel de Cainã,
E Cainã de Enos, e Enos de Sete, e Sete de Adão, e Adão de Deus.


Projeto na Assembleia de Minas/Polêmica

Resultado de imagem para escola sem partido

A polêmica em torno da Escola sem Partido chegou à Assembleia Legislativa de Minas Gerais. O Diário do Legislativo deste final de semana publicou projeto de lei complementar que altera o Estatuto dos Servidores do estadual para proibir professores de se expressar politicamente em sala de aula. 

De autoria do Coronel Sandro (PSL), o texto diz que será demitido o professor que, no exercício das funções, “se aproveitar da audiência cativa dos alunos” para promover “seus próprios interesses, opiniões, concepções ou preferências ideológicas, religiosas, morais, políticas e partidárias”. 

O projeto ainda determina a demissão em caso de o professor “favorecer, prejudicar ou constranger os alunos em razão de suas convicções políticas, ideológicas, morais ou religiosas, ou da falta delas; fazer propaganda político-partidária em sala de aula e incitar seus alunos a participar de manifestações, atos públicos e passeatas; não respeitar o direito dos pais dos alunos a que seus filhos recebam a educação religiosa e moral que esteja de acordo com as suas próprias convicções; permitir que os direitos assegurados nos itens anteriores sejam violados pela ação de estudantes ou de terceiros, dentro da sala de aula". 

Na justificativa do projeto, o deputado diz que as novas regras têm sido uma “grande inspiração da sociedade brasileira”, especialmente diante da exploração de jovens e adolescentes por “professores engajados em bandeiras políticas, partidárias e preferências ideológicas”. 

Antes de chegar ao plenário para votação em dois turnos, o projeto ainda passará pelas comissões de Constituição e Justiça, Administração Pública e Educação, Ciência e Tecolongia. Para a votação é necessária a presença de pelo menos 39 deputados.

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Dia do apicultor

Nesta semana, precisamente no dia 22, comemoraremos o dia do apicultor.
O apicultor cria abelhas por hobby ou para comercializar os produtos que são extraídos da colmeia como mel, cera, própolis e geleia real. A apicultura é uma das atividades mais lucrativas da pecuária, e o clima brasileiro é favorável ao cultivo.
Origem do Dia do Apicultor
O Dia do Apicultor é celebrado no dia 22 de maio porque é no mesmo dia de Santa Rita de Cássia, conhecida por ser padroeira do apicultores.
Parabéns a todos apicultores de nossa região.
Resultado de imagem para dia do apicultor

Uso dos porquês

Professor Pasquale responde:


"Por que" separado

“O ‘por que’ separado sempre pode embutir a palavra ‘razão’ ou a palavra ‘motivo’”, explica o professor.
Isso vale para perguntas diretas - “Por que você não foi?" vira "Por que razão você não foi?" e "Por que você não pagou a conta?" vira "Por que motivo você não pagou a conta?".
E também para frases terminadas com ponto final - “Você sabe por que eu ajo assim” vira “Você sabe por qual razão eu ajo assim” ou “Você sabe por qual motivo eu ajo assim”.
“E existe ainda um outro ‘por que’ separado", acrescenta Pasquale. “Lembra aquela música? ‘Só eu sei as esquinas por que passei’, lembra?”.
Com esse exemplo, ele explica que o “por que” também é separado quando equivale a "pelo qual", "pela qual", "pelos quais", "pelas quais".
No caso da música, a letra também poderia ser: “Só eu sei as esquinas pelas quais passei”.

"Porque" junto

O “porque” junto é uma conjunção que indica causa, motivo, justificativa ou explicação.
Um exemplo: "Eu não fui porque estava doente".
De acordo com o professor, "Porque estava doente" é a oração que indica a razão pela qual ele não foi.
Nesses casos, o “porque” é junto e sem acento.
Com isso, é possível existir “porque” junto mesmo em frases que terminam com interrogação, como esta: “Será que ela está chateada comigo porque eu não fui ao aniversário dela?”
Alguns professores recomendam tentar trocar o "porque" junto por "pois". Se der certo, está correto o uso do "porque" junto.

"Por quê" separado com acento

O “por quê” separado e com acento é um “por que” separado localizado antes de uma pausa na fala ou na escrita.
“É preciso que haja uma pausa, um ponto final, um ponto de interrogação..." explica Pasquale.
Exemplo: “Por quê?”
Só isso. É o mesmo que perguntar "Por qual razão?", "Por qual motivo?".
De acordo com o professor, esse "quê" vira tônico na entonação. Assim, quando há um “por que” separado encerrando uma frase, ele ganha o acento e passa a ser “por quê”.

"Porquê" junto com acento

Nesse caso, o “porque” vira sinônimo da palavra "motivo".
O professor exemplifica: “Qual é o porquê de tanta tristeza?".
É o mesmo que perguntar “Qual é o motivo de tanta tristeza?".
(Reportagem: Paula Reverbel)

domingo, 19 de maio de 2019

Atlético vence

O Atlético Mineiro venceu mais uma partida. Desta vez contra o Flamengo. Foi um jogo muito difícil e ainda tivemos uma expulsão (Elias) o que quase comprometera o andamento do confronto.
Mas, enfim, vencemos e agora estamos na vice liderança do campeonato.
O importante é manter a pegada e ganhar mais partidas para alavancar o posto mais alto.
Sempre com fé e esperança.
Vamos que vamos Galo.

sábado, 18 de maio de 2019

Política

Tenho visto muito, principalmente em redes sociais, o antagonismo entre "esquerda" e "direita" em nosso país, dividindo muitas pessoas, inclusive famílias e induzindo muitos à agressividade verbal.
Muitos assuntos tratados como sérios são Fake News e portanto irrelevantes. Todavia, muitas coisas são reais e precisam sim serem debatidas e cobradas do governo, seja ele federal, estadual ou municipal.
Interessantre que muitos ali são "doutores " em todos os temas (educação, saúde, agricultura, economia...) pois formulam respostas e/ou copiam da internet como se fossem unanimidade. Contestados se iram contra os contestadores. Muito triste isso, pois demonstra nossa falta de maturidade em se tratando de política.
A internet e consequentemente todas as mídias sociais deveriam ser uma ferramenta de auxílio para nosso desenvolvimento e não uma arma para destilarmos veneno.
Cobrar sim, mas ofender jamais.
Inquietante é que cada passo que o presidente dá, cada palavra e cada ação são tratados como adversidades e ele está sempre na mira da mídia (muitas vezes com armações e palavras colocadas), parecendo que ele nem humano é. Óbvio que ele tem ideias que não concordamos. Todavia isso pode ser revisto nas votações da Câmara e do Senado. E se ele persistir em erros, "Impeachment.."
Mas a verdade é que devemos esperar o tempo e as ações positivas certamente virão para o Brasil, Minas e nossas cidades. 
Também é necessário vigiar e cobrar de nossos deputados para que votem no que é certo e vetem no que for errado. Assim se constrói uma democracia.
Enfim, devemos deixar de lado desavenças e "mimimi" por causa de eleições e antagonismos políticos. Pois o país precisa crescer e voltar a funcionar. Temos milhões de brasileiros esperançosos com um futuro melhor.

Destarte, pratiquemos a política e que a máquina à nossa frente seja um instrumento de debates, amizades e diversão.
E viva o Brasil!

Esse Geriowaldo...


Os dois amigos mais famosos da Badia (Zé Cagueiteiras e Geriwaldo) vão a uma empresa de sabão em busca de emprego. Na hora da entrevista oZé é perguntado:
- O que você sabe fazer?
E o Zé responde:
- Não sei fazer nada.
O entrevistador pergunta ao outro:
- E você, o que faz?
E o geriowaldo responde responde:
- Sou o ajudante dele.
----------------------------------------------------------------------------
O rapaz apaixonado diz para sua amada:
- Eu posso não ser rico, não ter dinheiro, apartamentos de luxo, carros importados ou empresas, como o meu amigo Geriowaldo (o herói da Badia), mas te amo muito, você é minha vida.
Ela o observa, com lágrimas nos olhos, o abraça e diz bem baixinho no ouvido dele:
- Se você me ama de verdade, me apresente este Geriowaldo.
-------------------------------------------------------------------------------
Geriowaldo e o compadre Zé Cagueiteria conversando:

_  Eu frequento a academia tem mais de um ano! Dizia o Gê!
O Zé assustado pergunta:
- E por que você continua tão gordo?
- Ora, porque eu não faço os exercícios, só frequento mesmo.


Momento nostalgia/Pesacaria na fazenda do Paulo do "Sinhô"

Nos anos 90, a galera da badia tinha inúmeras opções de diversão por aqui. E nossa turma não ficava atrás (os Anjos do Inferno). 
Uma das diversões do fim de semana mais envolvente era, sem dúvida, a pescaria no Velho Chico, precisamente onde o Rio faz a curva lá na fazenda do Paulo do "Sinhô".
A gente se reunia , montava os apetrechos e pegava as iscas, rumando para as águas "piscosas" do Velho Chico.
Lá chegando, adentrávamos na canoa e pescávamos muitos mandis. Às vezes umas "curvinas", umas "vovozinhas" e umas piabinhas.
Depois passávamos na casa do Paulo e junto com o Júlio, seu filho, batíamos um "cartiado" de truco , bebericando umas até altas horas.
Tinha dia que até o Olavo do Zé do Zeca ia também, contar seus causos para nós.
Uma diversão sadia e muito prazerosa.
E para lembrar ainda mais daqueles tempos, vamos ouvir dois sucessos da época de presente para vocês.



Agora a nacional


Em dia com a Bíblia/Lucas 2


E aconteceu naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse
(Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria).
E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade.
E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi),
A fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.
E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.
E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.
Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.
E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.
E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:
Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.
E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.
E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:
Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.
E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos fez saber.
E foram apressadamente, e acharam Maria, e José, e o menino deitado na manjedoura.
E, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita;
E todos os que a ouviram se maravilharam do que os pastores lhes diziam.
Mas Maria guardava todas estas coisas, conferindo-as em seu coração.
E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes havia sido dito.
E, quando os oito dias foram cumpridos, para circuncidar o menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, que pelo anjo lhe fora posto antes de ser concebido.
E, cumprindo-se os dias da purificação dela, segundo a lei de Moisés, o levaram a Jerusalém, para o apresentarem ao Senhor
(Segundo o que está escrito na lei do Senhor: Todo o macho primogênito será consagrado ao Senhor);
E para darem a oferta segundo o disposto na lei do Senhor: Um par de rolas ou dois pombinhos.
Havia em Jerusalém um homem cujo nome era Simeão; e este homem era justo e temente a Deus, esperando a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele.
E fora-lhe revelado, pelo Espírito Santo, que ele não morreria antes de ter visto o Cristo do Senhor.
E pelo Espírito foi ao templo e, quando os pais trouxeram o menino Jesus, para com ele procederem segundo o uso da lei,
Ele, então, o tomou em seus braços, e louvou a Deus, e disse:
Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, Segundo a tua palavra;
Pois já os meus olhos viram a tua salvação,
A qual tu preparaste perante a face de todos os povos;
Luz para iluminar as nações, E para glória de teu povo Israel.
E José, e sua mãe, se maravilharam das coisas que dele se diziam.
E Simeão os abençoou, e disse a Maria, sua mãe: Eis que este é posto para queda e elevação de muitos em Israel, e para sinal que é contraditado
(E uma espada traspassará também a tua própria alma); para que se manifestem os pensamentos de muitos corações.
E estava ali a profetisa Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Esta era já avançada em idade, e tinha vivido com o marido sete anos, desde a sua virgindade;
E era viúva, de quase oitenta e quatro anos, e não se afastava do templo, servindo a Deus em jejuns e orações, de noite e de dia.
E sobrevindo na mesma hora, ela dava graças a Deus, e falava dele a todos os que esperavam a redenção em Jerusalém.
E, quando acabaram de cumprir tudo segundo a lei do Senhor, voltaram à Galiléia, para a sua cidade de Nazaré.
E o menino crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.
Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa;
E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.
E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o soube José, nem sua mãe.
Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia, e procuravam-no entre os parentes e conhecidos;
E, como o não encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele.
E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os.
E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas.
E quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos.
E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?
E eles não compreenderam as palavras que lhes dizia.
E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. E sua mãe guardava no seu coração todas estas coisas.
E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.


Publicações no Diário Oficial - recentes


18/05
PREFEITURA MUNICIPAL DE MARTINHO CAMPOS/MG. Aviso de Licitação. Processo Licitatório nº 030/2019 Pregão Presencial RP nº 020/2019. Objeto: Registro de Preços para futura e eventual aquisição de material para prática esportiva. Data: 04 de Junho de 2019 ás 9:00 horas. O edital e anexos estão disponíveis no site: www.martinhocampos.mg.gov.br . Maiores informações: (37)3524-1273.

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARTINHO CAMPOS/MG: Contrato nº 018/2019 que entre si celebram o Município de Martinho Campos e a empresa ÚNICO MULT EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS LTDA EPP, no valor global estimado de R$ 400.000,00 (Quatrocentos mil reais). Referente ao Processo Licitatório nº 028/2019 Pregão Presencial nº 018/2019 Adesão nº 001/2019 referente ao Processo Licitatório nº 076/2018 Pregão Eletrônico nº 03/2018 Registro de Preços nº 04/2018, Ata de Registro de Preços nº 001/2019 do COMASF (Consórcio de Municípios do Alto São Francisco) onde o Município de Martinho Campos é Partícipe. José Hailton de Freitas – Prefeito Municipal

17/05
PREFEITURA MUNICIPAL DE MARTINHO CAMPOS/MG: Primeiro Termo Aditivo a Ata de Registro de Preços nº 014/2019 referente ao Processo Licitatório nº 002/2019 Pregão Presencial RP nº 002/2019, firmado com a empresa SKALLA AUTO POSTO LTDA. Fica reajustado o valor do Diesel S-10 para R$ 3,75 (Três reais e setenta e cinco centavos), a partir de 01 de Maio de 2019. José Hailton de Freitas – Prefeito Municipal. 

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARTINHO CAMPOS/MG: Primeiro Termo Aditivo a Ata de Registro de Preços nº 016/2019 referente ao Processo Licitatório nº 002/2019 Pregão Presencial RP nº 002/2019, firmado com a empresa SKALLA AUTO POSTO LTDA. Fica reajustado o valor do Diesel S-500 (Comum) para R$ 3,69 (Três reais e sessenta e nove centavos), a partir de 01 de Maio de 2019. José Hailton de Freitas – Prefeito Municipal

15/05
CÂMARA MUNICIPAL DE MARTINHO CAMPOS. AVISO DE PRORROGAÇÃO DE LICITAÇÃO Nº 003/2019. A Câmara de Martinho Campos, através de seu Pregoeiro, torna público a prorrogação do Edital dePREGÃO PRESENCIAL Nº 003/2019, passando a sua abertura para o dia 27/05/2019 no mesmo horário e local. Inf. pelo telefone (37) 3524 1136. BRUNO H G BARBOSA – Porta- ria 04/2019


Informe do Diário: Escola Caxixó:
18/05
A Caixa Escolar Ensino Fundamental, realizará Chamada Pública 05/2019 para Aquisição de Gêneros Alimentícios da Agricultura Fami- liar, do Empreendedor Rural ou de suas organizações para Alimentação Escolar. Os grupos Formais e Informais deverão apresentar a documen- tação prevista no art. 27 da Resolução FNDE nº 26/13, alterada pela Resolução FNDE nº 04/15, para habilitação e Projeto de Venda até o dia 10/06/2019, às 14:00, na EE Indígena Caxixó Taoca Sérgia, locali- zada na Comunidade Capão do Zezinho, s/ n.º, Zona Rural – Martinho Campos - MG, CEP 35606-000 – Tel. (37) 3524-6192, e-mail: esco- la.322865@educacao.mg.gov.br Os quantitativos e gêneros alimentí- cios estão disponíveis na página da Internet http://www.portaldaagri- culturafamiliar.mg.gov.br/ TC 918434/2019 

A Caixa Escolar Ensino Fundamental, realizará Chamada Pública 06/2019 para Aquisição de Gêneros Alimentícios da Agricultura Fami- liar, do Empreendedor Rural ou de suas organizações para Alimentação Escolar. Os grupos Formais e Informais deverão apresentar a documen- tação prevista no art. 27 da Resolução FNDE nº 26/13, alterada pela Resolução FNDE nº 04/15, para habilitação e Projeto de Venda até o dia 10/06/2019, às 15:00, na EE Indígena Caxixó Taoca Sérgia, locali- zada na Comunidade Capão do Zezinho, s/ n.º, Zona Rural – Martinho Campos - MG, CEP 35606-000 – Tel. (37) 3524-6192, e-mail: esco- la.322865@educacao.mg.gov.br Os quantitativos e gêneros alimentí- cios estão disponíveis na página da Internet http://www.portaldaagri- culturafamiliar.mg.gov.br/ TC 921997/2019

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Reflexão da sexta-feira

Sete pecados sociais: política sem princípios, riqueza sem trabalho, prazer sem consciência, conhecimento sem caráter, comércio sem moralidade, ciência sem humanidade e culto sem sacrifício.
(Gandhi)

domingo, 12 de maio de 2019

A árvore cansada da Praça

Uma árvore cai, triste, aos poucos, pela idade e condições climáticas, na Praça da Matriz, em frente à Avenida Principal de nossa querida "Badia".
Quantas lembranças esta árvore deve trazer em sua bagagem, em sua vida neste mundo gigante de Deus! Quantos momentos abadienses ela presenciou ali, na sua imobilidade viva e pujante! Quantas pessoas por ela passaram e apreciaram suas belezas!

Esta árvore foi cúmplice de muitos encontros e desencontros nesta praça. Foi testemunha de fatos e feitos que sequer imaginamos, principalmente nas noites escuras de junho e em momentos de alegrias!
Hoje ela agoniza em seus momentos de existência, trazendo a nostalgia de tempos áureos.
Assim é a vida , assim é o mundo. 
Em contrapartida outras árvores estão crescendo ali, próximas e em outras áreas da praça, trazendo esperança e boas novas aos martinho-campenses. 
Cada planta, cada árvore, cada banco da praça têm suas histórias, suas curiosidades e seus segredos. Todas fazem parte de nosso ecossistema vital. Preservemos sempre!