abadiaemfoco

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Salmo 119/reflexão

1Bem-aventurados os que trilham com integridade o seu caminho, os que andam na lei do Senhor!   
2Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração,   
3que não praticam iniqüidade, mas andam nos caminhos dele!   
4Tu ordenaste os teus preceitos, para que fossem diligentemente observados.   
5Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos!   
6Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos.   
7Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido as tuas retas ordenanças.   
8Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente!  
..............................................................................................................................................

170Chegue à tua presença a minha súplica; livra-me segundo a tua palavra.   
171Profiram louvor os meus lábios, pois me ensinas os teus estatutos.   
172Celebre a minha língua a tua palavra, pois todos os teus mandamentos são justos.   
173Esteja pronta a tua mão para me socorrer, pois escolhi os teus preceitos.   
174Anelo por tua salvação, ó Senhor; a tua lei é o meu prazer.   
175Que minha alma viva, para que te louve; ajudem-me as tuas ordenanças.   
176Desgarrei-me como ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueço dos teus mandamentos. 

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Mais uma do Waldim...

Na sala de aula, de uma escola da Badia, a professora solicita:
— Mariazinha analise a frase: Há uma mulher olhando pela janela é singular ou plural?
— Singular — responde a Mariazinha.
— Muito bem. Agora você Waldim: Há várias mulheres olhando pela janela, o que é?
E o Waldim responde no ato:
— Zona, professora.

Ano novo...

E assim segue a vida....2014 já está indo e agora vem 2015.....E como já dizia o poeta:
O ano se foi, ficaram as lembranças;
Não aquelas de criança
Mas também as amarguras da vida.
Porém tudo faz parte, desde que seja com arte,
Num canal de alegria.
Verdejantes são os caminhos, precisos seus destinos;
Mas viver é sempre bom, seja em 14 ou em 15

Tudo se mescla em harmonia, nas felizes e belas ruas da “Badia”


sábado, 27 de dezembro de 2014

Pescaria/Momento nostalgia

Quando criança e adolescente, uma das coisas preferidas em Martinho Campos era pescar no Rio Picão e córregos adjacentes. A turminha toda se divertia, percorrendo longos trechos do rio desde o açudinho até a ponte nova. Era uma farra só.
Pegávamos piabas, vovozinhas, piaus, mandis e muito mato. Perdíamos anzóis que era uma beleza.
Todavia era uma atividade muito edificante e sempre aprendíamos algo novo. Teve uma vez que , sentido muita fome, aprendemos a comer e degustar o "angá". Uma fruta esquisita como o próprio nome.
E, lembrando do pé de angás e das pescarias, vamos ouvir dois sucessos eternizados em nossas mentes.



Agora a nacional:


sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Reflexão da sexta-feira/Organiza o Natal

Alguém observou que cada vez mais o ano se compõe de 10 meses; imperfeitamente embora, o resto é Natal. É possível que, com o tempo, essa divisão se inverta: 10 meses de Natal e 2 meses de ano vulgarmente dito. E não parece absurdo imaginar que, pelo desenvolvimento da linha, e pela melhoria do homem, o ano inteiro se converta em Natal, abolindo-se a era civil, com suas obrigações enfadonhas ou malignas. Será bom.

Então nos amaremos e nos desejaremos felicidades ininterruptamente, de manhã à noite, de uma rua a outra, de continente a continente, de cortina de ferro à cortina de nylon — sem cortinas. Governo e oposição, neutros, super e subdesenvolvidos, marcianos, bichos, plantas entrarão em regime de fraternidade. Os objetos se impregnarão de espírito natalino, e veremos o desenho animado, reino da crueldade, transposto para o reino do amor: a máquina de lavar roupa abraçada ao flamboyant, núpcias da flauta e do ovo, a betoneira com o sagüi ou com o vestido de baile. E o supra-realismo, justificado espiritualmente, será uma chave para o mundo.

Completado o ciclo histórico, os bens serão repartidos por si mesmos entre nossos irmãos, isto é, com todos os viventes e elementos da terra, água, ar e alma. Não haverá mais cartas de cobrança, de descompostura nem de suicídio. O correio só transportará correspondência gentil, de preferência postais de Chagall, em que noivos e burrinhos circulam na atmosfera, pastando flores; toda pintura, inclusive o borrão, estará a serviço do entendimento afetuoso. A crítica de arte se dissolverá jovialmente, a menos que prefira tomar a forma de um sininho cristalino, a badalar sem erudição nem pretensão, celebrando o Advento.

A poesia escrita se identificará com o perfume das moitas antes do amanhecer, despojando-se do uso do som. Para que livros? perguntará um anjo e, sorrindo, mostrará a terra impressa com as tintas do sol e das galáxias, aberta à maneira de um livro.

A música permanecerá a mesma, tal qual Palestrina e Mozart a deixaram; equívocos e divertimentos musicais serão arquivados, sem humilhação para ninguém.

Com economia para os povos desaparecerão suavemente classes armadas e semi-armadas, repartições arrecadadoras, polícia e fiscais de toda espécie. Uma palavra será descoberta no dicionário: paz.

O trabalho deixará de ser imposição para constituir o sentido natural da vida, sob a jurisdição desses incansáveis trabalhadores, que são os lírios do campo. Salário de cada um: a alegria que tiver merecido. Nem juntas de conciliação nem tribunais de justiça, pois tudo estará conciliado na ordem do amor.

Todo mundo se rirá do dinheiro e das arcas que o guardavam, e que passarão a depósito de doces, para visitas. Haverá dois jardins para cada habitante, um exterior, outro interior, comunicando-se por um atalho invisível.

A morte não será procurada nem esquivada, e o homem compreenderá a existência da noite, como já compreendera a da manhã.

O mundo será administrado exclusivamente pelas crianças, e elas farão o que bem entenderem das restantes instituições caducas, a Universidade inclusive.

E será Natal para sempre.

Ah! Seria ótimo se os sonhos do poeta se transformassem em realidade.

Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Salmo 118


Louvai ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua benignidade dura para sempre.
Diga agora Israel que a sua benignidade dura para sempre.
Diga agora a casa de Arão que a sua benignidade dura para sempre.
Digam agora os que temem ao Senhor que a sua benignidade dura para sempre.
Invoquei o Senhor na angústia; o Senhor me ouviu, e me tirou para um lugar largo.
O Senhor está comigo; não temerei o que me pode fazer o homem.
O Senhor está comigo entre aqueles que me ajudam; por isso verei cumprido o meu desejo sobre os que me odeiam.
É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem.
É melhor confiar no Senhor do que confiar nos príncipes.
Todas as nações me cercaram, mas no nome do Senhor as despedaçarei.
Cercaram-me, e tornaram a cercar-me; mas no nome do Senhor eu as despedaçarei.
Cercaram-me como abelhas; porém apagaram-se como o fogo de espinhos; pois no nome do Senhor as despedaçarei.
Com força me impeliste para me fazeres cair, porém o Senhor me ajudou.
O Senhor é a minha força e o meu cântico; e se fez a minha salvação.
Nas tendas dos justos há voz de júbilo e de salvação; a destra do Senhor faz proezas.
A destra do Senhor se exalta; a destra do Senhor faz proezas.
Não morrerei, mas viverei; e contarei as obras do Senhor.
O Senhor me castigou muito, mas não me entregou à morte.
Abri-me as portas da justiça; entrarei por elas, e louvarei ao Senhor.
Esta é a porta do Senhor, pela qual os justos entrarão.
Louvar-te-ei, pois me escutaste, e te fizeste a minha salvação.
A pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se a cabeça da esquina.
Da parte do Senhor se fez isto; maravilhoso é aos nossos olhos.
Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele.
Salva-nos, agora, te pedimos, ó Senhor; ó Senhor, te pedimos, prospera-nos.
Bendito aquele que vem em nome do Senhor; nós vos bendizemos desde a casa do Senhor.
Deus é o Senhor que nos mostrou a luz; atai a vítima da festa com cordas, até às pontas do altar.
Tu és o meu Deus, e eu te louvarei; tu és o meu Deus, e eu te exaltarei.
Louvai ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.



É Natal

Então chegou o Natal e com ele a maravilha do nascimento de nosso Salvador Jesus Cristo. Momento de fé e reflexão e também de harmonia. Um encontro familiar onde reina a paz e o encanto da amizade e da fraternidade.
Nesse clima de festa o abadiaemfoco deseja a todos internautas um Feliz Natal. E que nossas vidas sejam sempre iluminadas pela vida e morte de Cristo.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Momento nostalgia/Pique de esconder...

Uma das brincadeiras infantis mais intensas, vividas em Martinho Campos, nos tempos idos, era o Pique de esconder. Consistia em escolher um pegador que debruçava sobre um poste da praça da Matriz e contava até 20 , enquanto os outros "moleques" se escondiam pela mesma e também atrás da Igreja. 
Assim que terminava de contar saía em disparada para ver se descobria onde os amigos estavam. Quando descobria um, dava um "cutucão" no mesmo e assim, aquele colega já estava fora da brincadeira. E, até o último ser descoberto, os encontrados ficavam de molho aguardando. Quando todos se apresentavam, o primeiro que foi pego era o novo pegador e a brincadeira reiniciava. Bela passagem de nossa infância. E para lembrarmos dela vamos ouvir dois grandes sucessos.


Agora a nacional




Um pouco de política

A eleição acabou e ficou na história. Os eleitos foram diplomados essa semana e , no ano que vem, começam mais um ciclo na condução desse nosso imenso país.
Não me alinho ao Partido dos Trabalhadores (PT), vencedor em Minas e no Brasil. Todavia, como cidadão de bem, me alinho aos eleitos (Pimentel e Dilma) para ajudar no que for preciso e dar uma vida mais decente aos milhões de brasileiros. Isso mesmo, depois que passam as eleições somos todos um só povo, uma só família, uma só nação.
Os desafios são muitos, a começar pela economia que não anda bem . Principalmente no âmbito nacional, o que certamente fará com que impostos sejam aumentados. 
Mas sou otimista e creio que nossa economia irá melhorar. Tanto nacional como estadual, haja vista o esforço que Pimentel está fazendo para montar sua equipe com determinação e competência.
Um desafio muito grande será dar aumento ao funcionalismo público estadual, principalmente aos professores, classe esta que já está com seus salários atrasados faz tempo. Contudo há uma luz no fim do túnel. Pois com a mudança de governo, mudam-se as ideias e , quiçá, essas de agora sejam melhores e possamos seguir adiante num patamar mais digno quanto à remuneração.
O momento é de união e de viabilizar as propostas dos novos eleitos, pois assim fazendo, garantiremos um futuro melhor para nós mineiros e para o Brasil.
Parabéns aos eleitos e diplomados. Que Deus abençoe todos vocês!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Reflexão da sexta-feira/Ser feliz



Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.


Pescaria no Velho Chico

Dois amigos (O Geriowaldo e o Zé Cagueiteira) , um caçador e outro pescador, foram passar as férias no sítio de um amigo lá pelas bandas do Buriti Grande. Chegando lá, o Gê adentrou a mata e o Zé se sentou na beira do rio São Francisco com a sua varinha a fixou numa forquilha e na maior paciência, tirou um cochilo.
Tempo depois, nosso primeiro amigo caça um enorme tatu e contente, volta para mostrar para o Zé pescador. Chegando na beira do rio, quando o vê dormindo com sua varinha na mesma posição, tem uma ideia: "Vou enroscar este tatu no anzol e pregar uma peça neste pescador mentiroso!" E assim fez. O pescador então acorda assustado, retira o tatu do rio.
O Gê então, contendo o riso, lhe pergunta:
— Nossa, compadre, cê pescou um tatu?
— Pois é, e este aqui é o segundo hoje!

Disparidade espetacular.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (17) aumentos salariais para a presidente da República, ministros de Estado, parlamentares, ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e o procurador-geral da República (PGR), em 2015. Os projetos ainda precisam passar por votação no Senado Federal.
Pelos textos chancelados pela Câmara, o salário da presidente Dilma Rousseff e de ministros do governo será de R$ 30,9 mil, enquanto senadores, deputados, magistrados do STF e o procurador-geral receberão R$ 33,7 mil por mês. Atualmente, o presidente da República recebe o mesmo subsídio dos parlamentares (R$ 26,7 mil) e menos que ministros da Suprema Corte, cuja remuneração é de R$ 29,4 mil. Portanto, a partir do ano que vem Dilma passará a receber menos que um deputado federal. Os reajustes salariais do STF e do procurador-geral estão previstos em dois projetos de lei que seguirão para sanção presidencial depois de aprovados pelo Senado.
Os aumentos para parlamentares, presidente da República e ministros de Estado estão em dois projetos de decreto legislativo que serão promulgados pelo presidente do Congresso depois de aprovados pelo Senado.

E enquanto isso o salário mínimo deve ir apenas para R$790,00 em 2015, enquanto que o piso salarial dos professores não deverá passar dos R$1700,00. Uma disparidade espetacular num país que se diz democrático.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Aniversário da "Badia"


O mês de dezembro é um tempo especial; momento único da vinda ao mundo do Cristo Salvador! Tempo de festa, de comemorações e também de encerramento, por concluir mais um ciclo do ano corrido. É também e não menos importante uma data simbólica para nossa querida e adorável Martinho Campos. Neste mês, nossa pequena (no tamanho) “Abadia”, porém gigante no calor humano, comemora 76 anos de emancipação política.
Precisamente no dia 17 os sinos da Matriz dobram com mais veemência e alegria, sinalizando, ao som da Banda de Música, o aniversário da cidade.
Dia de exaltarmos as maravilhas e o valor dessa terra que moramos e trabalhamos, que escolhemos para criar nossos filhos, a exemplo que nossos ancestrais fizeram e tantos outros honrados pais de famílias que habitam esse torrão; para nós um pedacinho do céu.
É concebido que o município é a escola da cidadania, do espírito público e cívico, daí a importância de frisarmos, nessa passagem festiva da emancipação política, os seus valores e a coragem de seu povo.
Não obstante, o Martinho-campense é o maior patrimônio de nossa terra. Homens e mulheres de bem que lutam incansavelmente, dia após dia, para engrandecer essa nossa casa, de cultura extensa e bonita por natureza.
Por isso, esse cidadão Martinho-campense, que ora vos fala, deseja que cada habitante da “Badia”, distritos e povoados,  seja um ponto de apoio nesta construção diária, com valores sólidos, que ajude preparar as crianças e jovens, neste processo contínuo de transformação. Semear ações e colher os louros da vitória, buscando no presente o futuro! Desejo ainda crescentes conquistas da comunidade, demonstrando que somos os construtores do amanhã e que nossa perseverança é a luz que ilumina o caminho rumo a um município mais desenvolvido com a devida justiça.



Parabéns gente guerreira que tem vontade de vencer!
Parabéns jovem cidade, mãe e amiga de seu povo.

Parabéns Martinho Campos!

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Salmo 117/Reflexão


Louvai ao SENHOR todas as nações, louvai-o todos os povos.
Porque a sua benignidade é grande para conosco, e a verdade do Senhor dura para sempre. Louvai ao Senhor.




sábado, 13 de dezembro de 2014

Piadinha

Em uma cidadezinha do interior um candidato a vereador chega e começa o discurso.
— Gente nessa cidade tem água encanada?
O povo responde:
— Não!
— Gente, nessa cidade tem saneamento básico?
O povo:
— Não!
— Gente nessa cidade tem hospital?
O povo mais uma vez diz:
— Não.
— Gente, muda dessa porra!
Você Me Traiu

Tempos áureos/Momento Nostalgia

Nos anos idos, aqui em nossa grande Martinho Campos, a vida era mais pacata e alegre, pois não tinha facebook, tablet, "Zap Zap", computador....etc. As brincadeiras eram mais de contato e naturais, ou ambas, de preferência com a natureza viva.
No período natalino ganhávamos presentes: as meninas ganhavam bonecas e os meninos carrinhos. Era uma festa só. Pegávamos os carrinhos, amarrávamos um barbante nos mesmos e saíamos pelos passeios do quarteirão da Igreja Batista, buzinando com a boca e puxando os "possantes" com entusiasmo e alegria.
E, lembrando dessa época dourada, vamos ouvir dois sucessos do passado de presente para vocês.

Agora a nacional


Dia de Santa Luzia

Hoje se comemora o dia de Santa Luzia, a protetora dos olhos. Dizem os mais velhos que, se Santa Luzia chorar, Papai Noel sorri e vice-versa. Ou seja, se hoje chover, no Natal faz sol e se hoje fizer sol, no Natal chove.
Todavia, tirando os ensinamentos dos antepassados, vamos saber mais sobre Santa Luzia:

"O nome de Santa Luzia deriva do latim e significa: Portadora da luz. Ela é invocada pelos fiéis como a protetora dos olhos, que são a “janela da alma”, canal de luz.
Ela nasceu em Siracusa (Itália) no fim do século III. Conta-se que pertencia a uma família italiana e rica, que lhe deu ótima formação cristã, a ponto de ter feito um voto de viver a virgindade perpétua. Com a morte do pai, Luzia soube que sua mãe, chamada Eutícia, a queria casada com um jovem de distinta família, porém, pagão.
Ao pedir um tempo para o discernimento e tendo a mãe gravemente enferma, Santa Luzia inspiradamente propôs à mãe que fossem em romaria ao túmulo da mártir Santa Águeda, em Catânia, e que a cura da grave doença seria a confirmação do “não” para o casamento. Milagrosamente, foi o que ocorreu logo com a chegada das romeiras e, assim, Santa Luzia voltou para Siracusa com a certeza da vontade de Deus quanto à virgindade e quanto aos sofrimentos pelos quais passaria, assim como Santa Águeda.
Santa Luzia vendeu tudo, deu aos pobres, e logo foi acusada pelo jovem que a queria como esposa. Não querendo oferecer sacrifício aos falsos deuses nem quebrar o seu santo voto, ela teve que enfrentar as autoridades perseguidoras. Quis o prefeito da cidade, Pascásio, levar à desonra a virgem cristã, mas não houve força humana que a pudesse arrastar. Firme como um monte de granito, várias juntas de bois não foram capazes de a levar (Santa Luzia é muitas vezes representada com os sobreditos bois). As chamas do fogo também se mostravam impotentes diante dela, até que por fim a espada acabou com vida tão preciosa. A decapitação de Santa Luzia se deu no ano de 303.
Conta-se que antes de sua morte teriam arrancado os seus olhos, fato ou não, Santa Luzia é reconhecida pela vida que levou Jesus – Luz do Mundo – até as últimas consequências, pois assim testemunhou diante dos acusadores: “Adoro a um só Deus verdadeiro, e a Ele prometi amor e fidelidade”.
Santa Luzia, rogai por nós!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Reflexão da sexta-feira/A família

Você já parou algum dia para pensar como funciona uma colmeia? Já se deu conta de que nela tudo é ordem, disciplina, preocupação pelo todo? 

A colméia é formada por células de cera, que se contam aos milhares. Em algumas dessas células existem ovos ou larvas de abelha. Outras servem como depósitos de pólen e de mel. Essas são os favos de mel. 

Numa colméia podem existir até 70 mil abelhas, que exercem diferentes funções. 

As operárias são as que alimentam as larvas, cuidam da colméia, trazem comida para todos os habitantes da comunidade. Elas começam como faxineiras, limpando as células onde estão os ovos. Depois produzem a geléia real que serve para alimentar as abelhas mais jovens e a rainha. Também trabalham como babás alimentando as abelhinhas mais crescidas com pólen e mel. 

Com dez dias de vida elas se tornam construtoras. Começam a produzir cera, que lhes permite construir e remendar as células da colméia. 

A rainha tem como tarefa botar ovos, dos quais sairão as operárias, os zangões e as novas rainhas. No verão chega a botar em um só dia 1.500 ovos. 

O zangão, desde que nasce, tem por tarefa a procriação com a rainha. Depois morre. 

Tudo na colméia reflete ordem, equilíbrio. 

As operárias são também as que saem da colméia para buscar a matéria prima de que necessitam. Estranhamente, elas nunca se enganam no caminho de volta para casa, para onde retornam com sua preciosa carga. 

Embora sua vida seja curta, de cinco semanas apenas, elas não se cansam de trabalhar, sem cansaço, pelo bem-estar de toda a equipe. 

Podemos pensar na família como uma colmeia racional. Cada um tem sua tarefa a cumprir, visando o crescimento da pequena coletividade, como exige o lar. 

E todos são importantes no desempenho do grupo doméstico. 

É no seio da família, na intimidade do lar, que se vão descobrir operárias incansáveis, trabalhando sem cessar, não se importando consigo mesmas. Em constante processo de doação. 

É na família que se aprende a transformar o fel das dificuldades, as amarguras das incompreensões no mel das atenções e do entendimento. 

É ali que se exercita a cooperação. Afinal, como a família é uma comunidade, há necessidade de ajuda mútua. 

Quando a família enfrenta as dificuldades com união, cresce e supera problemas considerados insolúveis. 

Para que a família progrida no todo, cada um deve se conscientizar de sua tarefa e realizá-la com alegria. 

É por este motivo que as crianças devem ser incentivadas, desde cedo, a pequenas tarefas no lar. 

Retirar os pratos da mesa, lavar a louça, aquecer a mamadeira do menorzinho. 

Renúncia a um pequeno lazer para satisfazer o outro. Nem que seja somente a satisfação da companhia ou de um diálogo amistoso. 

Se na colméia familiar reinar o amor, conseguiremos com certeza ter elementos para uma atuação segura, verdadeiramente cristã, junto à família maior, na imensa colméia do mundo. 

*** 

A família é abençoada escola de educação moral e espiritual. É oficina santificante onde se burilam caracteres. É laboratório superior em que se refinam ideais.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Coisa sem noção ....ou não!

Vai passar o Natal no México? Então aproveite para dar um pulo em Oaxaca. Dia 23, na praça principal da cidade, ocorre uma inusitada festa. Artesãos esculpem grandes raízes e criam homens-vegetais impressionantes. È a Noche de Rábanos.

noche-rabanos
(foto: Laura Ramos)
A competição em si, pelas esculturas mais bacanas, dura algumas horas. Mas outras atividades tomam conta da cidade até o Natal. O evento inclui uma exibição de esculturas feitas de um tipo de rabanete grande e vermelho que pode pesar até 3 quilos e chegar a até 50 centímetros.Esses rabanetes são plantados exclusivamente para a festa, deixados na terra por meses após a colheita normal, a fim de permitir que cheguem a um tamanho bem maior e tomem formas bizarras. Entre os modelos apresentados, há presépios e santos, cenas de festas com dezenas de figuras, bailes folclóricos e edifícios reais cheios de detalhes. É tipo uma Legoland vegetariana.
Os rabanetes chegaram ao México no século 16, enquanto o país estava sob o controle da Espanha. A tradição surgiu quando vendedores de mercados locais costumavam esculpir os vegetais para convidar pessoas a entrar em suas lojas.
(da revista superinteressante)


Futebol Mineiro de Férias



Os mineiros, campeões do Brasil com Cruzeiro e Atlético, agora repousam em férias futebolísticas. É o famoso período de descanso dos atletas profissionais do esporte mais popular do planeta.
Vão-se os jogos e entram em campo as negociações que os clubes fazem, seja para limpar o elenco ou reforçá-lo; ou ainda os dois.
A expectativa é grande, pois os dois clubes da capital se consagraram no cenário nacional e agora visam a Libertadores da América no vindouro ano de 2015.
Aliás, o próximo ano promete muito para nossas equipes, haja vista o potencial de cada uma e a força fora do campo, emanada pelos milhões de torcedores de Cruzeiro e Galo.
Parabéns às equipes mineiras pelo brilhante ano de 2014 , onde a rivalidade foi deixada de lado e a soberania do Estado, no quesito futebol, falou mais alto.
Parabéns ainda às duas torcidas pelo magnífico espetáculo, proporcionado durante o ano e mostrado para o mundo inteiro.
Que 2015 seja um reflexo e ampliação deste ano para o futebol das Gerais.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Dia do Palhaço




Hoje tem palhaçada? Tem sim, senhor! Hoje tem goiabada? Tem sim, senhor! E o palhaço, o que é? É ladrão de mulher!


Dia 10 de dezembro é dia de comemorar com muitas brincadeiras e palhaçadas o Dia Universal do Palhaço! O Palhaço, que na maioria das vezes é o personagem preferido das crianças em um circo, porque ele diverte, faz rir e traz muita alegria para todos aqueles que estão o assistindo. Afinal, circo sem palhaços, não é um circo de verdade.

Aqui em nossa cidade temos vários artistas "palhaços" que encantam nossa garotada e engrandecem nossa cultura.

O abadiaemfoco parabeniza todos esses profissionais pelo seu dia e pela alegria que nos transmitem.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Memória indígena "caxixoense"

Havia um índio "Caxixó"  famoso por sua extraordinária memória. Um turista de BH  foi lá no Capão do Zezinho conferir e perguntou:
— O que você comeu no café da manhã do dia 15 de janeiro de 1958?
— Ovos.
Como só era permitida uma pergunta por pessoa, o turista saiu meio intrigado. Vinte anos depois, esse mesmo turista, andando pelas ruas da "Badia", encontrou o mesmo índio sentado na calçada. Surpreso, falou:
— Mas... como?
E o índio responde:
— Fritos.


Sobre o "Velho Chico"

(Do jornal Super)
Com o início do período chuvoso, a água voltou a jorrar da principal nascente do rio São Francisco, fazendo com que ambientalistas e moradores das cidades que margeiam o Velho Chico comemorassem. Não demorou muito para que fotos do rio de volta à vida e com água em abundância começassem a pipocar nas redes sociais. Uma delas, foi compartilhada por Rhomário Magalhães, que fez a imagem em Pirapora, no Norte de Minas, e alcançou mais de 1.000 curtidas e cerca de 600 compartilhamentos.
No entanto, conforme alertado pela presidente do Comitê da Bacia Hidográfica do Entorno da Represa de Três Marias, Sílvia Friedman, o alívio que o período chuvoso trouxe, deve dar lugar aos esforços para que as áreas verdes próximas ao rio e, principalmente, as nascentes, sejam preservados. “Essas imagens são um pouco ilusórias, porque essa água não vai ficar no rio. A chuva cai na nascente ou no leito do rio, mas não infiltra no solo, apenas corre e depois vai embora”, explicou Friedman.
O motivo da ilusão é a impermeabilidade do solo causada pelo desmatamento. “Não temos mais mata para segurar essa água, nem mata ciliar, que é a vegetação que fica às margens do leito do rio, nem a mata de topo, que fica na nascente. Sem essa cobertura vegetal, a água bate no solo e corre pelo leito, levando tudo embora, mas ela não fica ali”, contou a especialista.
Por isso que os esforços devem ser concentrados em recarregar os lençóis freáticos. “Para que se abasteça as nascentes e o leito se torne perene. As áreas de preservação permanente devem manter essa cobertura vegetal, porque é isso que vai fazer a água infiltrar no solo e reabastecer o volume do rio. Mas mesmo assim, de acordo com os especialistas, para que o rio São Francisco volte ao seu volume normal, serão necessários de 3 a 4 anos, no mínimo, se houver esse trabalho de preservação, se o solo não ficar desnudo, se mantivermos essa vegetação no solo, e também se houver bons índices pluviométricos”, explicou Friedman

Salmo 116/Refletindo


Eu amo o Senhor, porque ele me ouviu quando lhe fiz a minha súplica.

Ele inclinou os seus ouvidos para mim; eu o invocarei toda a minha vida.
As cordas da morte me envolveram, as angústias do Sheol vieram sobre mim; aflição e tristeza me dominaram.
Então clamei pelo nome do Senhor: "Livra-me, Senhor! "
O Senhor é misericordioso e justo; o nosso Deus é compassivo.
O Senhor protege os simples; quando eu já estava sem forças, ele me salvou.
Retorne ao seu descanso, ó minha alma, porque o Senhor tem sido bom para você!
Pois tu me livraste da morte, os meus olhos, das lágrimas e os meus pés, de tropeçar,
para que eu pudesse andar diante do Senhor na terra dos viventes.
Eu cri, ainda que tenha dito: "Estou muito aflito".
Em pânico eu disse: "Ninguém merece confiança".
Como posso retribuir ao Senhor toda a sua bondade para comigo?
Erguerei o cálice da salvação e invocarei o nome do Senhor.
Cumprirei para com o Senhor os meus votos, na presença de todo o seu povo.
O Senhor vê com pesar a morte de seus fiéis.
Senhor, sou teu servo, Sim, sou teu servo, filho da tua serva; livraste-me das minhas correntes.
Oferecerei a ti um sacrifício de gratidão e invocarei o nome do Senhor.
Cumprirei para com o Senhor os meus votos, na presença de todo o seu povo,
nos pátios da casa do Senhor, no seu interior, ó Jerusalém! Aleluia!

Revista "ÓiaBadia" edição Final de Ano

Aeroporto Internacional da "Badia" com movimento ,intenso neste fim de ano! Pousos e decolagens com atrasos. Novidade: a companhia aérea "Teco-Teco" com vôos semanais para Madri e Londres!

Estradas de Martinho Campos e região metropolitana estão mais para queijo suíço do que para carros. Alegria dos borracheiros.

Contratações de fim de ano movimentam bastidores dos clubes da cidade. Abadia e União prometem novidades para 2015.

Amigo Oculto deste ano será trocado na véspera do Natal. Presentes a partir de 30 reais é a melhor opção.

Comissão Nacional da Verdade acredita que Abadia já foi esconderijo de rebeldes nos anos da Ditadura.

Novo esporte praticado pelos abadienses: Quem mata mais pernilongos com raquetes elétricas. Cidade vai até sediar campeonato mundial!

Disco voador tenta pousar em Ibitira, porém, pela falta de policiamento no povoado, alienígenas dão meia volta e vão para Pitangui.



História da semana TERRA INFÉRTIL

Uma pesquisadora do IBGE bate à porta de um sitiozinho escondido no sul de MARTINHO CAMPOS (perto de Buriti Grande).
- Essa terra dá mandioca?
- Não, senhora – responde o roceiro.
- Dá batata?
- Também não, senhora!
- Dá feijão?
- Nunca deu!
- Arroz?
- De jeito nenhum!
- Milho?
- Nem brincando!
- Quer dizer que por aqui não adianta plantar nada?
- Ah! … Se prantá é diferente


sábado, 6 de dezembro de 2014

Namoro de antigamente/Momento Nostalgia

Em "nossa" época (nos tempos idos)  ficava-se namorando; hoje namora-se ficando.
Isso mesmo, a evolução do namoro foi uma coisa surpreendente e, para mim, retrocedeu em vez de modernizar. Pois o romance ficou em segundo plano e a "pegada" em primeiro.
Mas, voltando à nostalgia do passado, o namoro daquela época, aqui na "Badia" era bom demais.
Nos primeiros momentos era só caminhar pela praça e conversar com a pessoa que "estava a fim". Quando a coisa evoluía o casal sentava-se num dos bancos mais afastados da praça e ali começavam a se acariciar (timidamente). O auge (ou o proibido) se dava quando o casal ia parar detrás da Igreja e, às vezes, expulso pelo padre da paróquia.
Tempos bons que marcam nossas vidas. E, para lembrar da parte de trás da Igreja Matriz, vamos ouvir dois sucessos de época para nosso deleite.




Agora a brasileira de época