abadiaemfoco

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Reflexão da sexta-feira/Queimadas



"As queimadas correspondem a uma das técnicas agrícolas mais primitivas da história do homem. No Brasil há registros da utilização das queimadas desde o período colonial, quando já era usada para retirada da cobertura vegetal original antes do plantio e ou formação de pastagem.


Por ser uma técnica rápida e barata, ainda é muito utilizada no meio rural. Além do custo e rapidez, a queimada é considerada por alguns agricultores como uma ferramenta de fertilização do solo. Uma vez que as cinzas que restam após a passagem do fogo, seriam uma espécie de adubo natural. No entanto, este modo de limpar o terreno, na atualidade é alvo de críticas por parte de ambientalistas e técnicos.

Além da utilização das queimadas como técnica agrícola, outros fatores também provocam queimadas, especialmente nos períodos de estiagem prolongada. Vejamos:
Desmatamentos para a retirada de madeira. Queimam-se as plantas menores para facilitar o corte das árvores de médio e grande porte.
Colheita manual de cana-de-açúcar. Também com o objetivo de limpar o terreno e facilitar o corte, ainda é comum a queima em canaviais.
O vandalismo e negligência são responsáveis por desastres no Brasil e no mundo. Ainda é comum haver queimadas provocadas por cigarros acesos jogados nas margens das estradas e rodovias.
Os balões das festas juninas e os fogos de artifício utilizados em festas e comemorações são causa frequente de incêndios florestais e queimadas.
As disputas pela posse da terra motivam as queimadas criminosas em frequentes ocorrências país afora."

Há também fatores climáticos (seca, ventanias, baixa umidade, descargas elétricas) e outros que podem corroborar e formar queimadas.
Todavia o homem é um dos prinicpais responsáveis por este fenômeno e por isso deve ser educado a prevenir e não causar queimadas.
Desde as boas maneiras ecológicas do dia-a-dia até a formação do pensamento preventivo, o homem deve ser o principal defensor do meio ambiente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário