abadiaemfoco

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Os sinos da Igreja

Quem não se encanta ao ouvir o sonoro timbre do sino que, do alto do campanário, nos convida a elevar nossa mente ao Céu e dirigir a Deus uma súplica, um louvor?
O sino é uma verdadeira maravilha da arte, pela simplicidade de suas linhas, beleza de suas proporções e riqueza de suas notas. 

Melodioso, disciplinado e amigo, o sino sempre nos lembra seu caráter genuinamente cristão. 

Em Martinho Campos, no Santuário de Nossa Senhora de Abadia há os sinos no alto da torre que nos orientam quanto as horas e sinalizam festas religiosas de nossa comunidade.
Sinos da Igreja Matriz (Martinho Campos/MG)


ORIGEM DO SINO

Os judeus e os pagãos conheceram somente o tintinnabulum ou campainha. Esta miniatura do sino é nomeada pela primeira vez no livro do Êxodo. Deus ordenou a Moisés guarnecer de campainhas de ouro a orla inferior do manto de Aarão, o primeiro Sumo Sacerdote, e acrescentou: “Aarão será revestido desse manto quando exercer suas funções, a fim de se ouvir o som das campainhas quando entrar no Santuário diante do Senhor, e quando sair” (Ex. 28, 35). Em número de 72, destinavam-se elas a recordar aos filhos de Israel que a Lei lhes havia sido dada ao som da trombeta. 
Entre os gregos e romanos, as campainhas eram usadas em diversos atos civis e religiosos, desde a abertura dos banhos públicos até a consagração de algum templo.
Durante o período das perseguições, deveriam ser silenciosos os meios de chamar os cristãos para as reuniões, de modo a não despertar a atenção dos pagãos. Depois de Constantino, a Igreja do Ocidente passou a servir-se de trombetas para essa finalidade, e a do Oriente usava duas lâminas de cobre, que se batiam uma contra outra.
Não se sabe quem foi o idealizador do sino como hoje o conhecemos. Segundo relato de Santo Isidoro de Sevilha, falecido em 636, sua origem é a região da Campânia, Itália, muito provavelmente a cidade de Nola.


Os sinos são mais uma prova incontestável da beleza de nossa igreja Matriz. Cartão Postal da Badia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário