abadiaemfoco

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Cemes Petróleo vai comercializar o gás da região/Ibitira está incluída




Notícia extraída do Diário do Comércio 


O início da comercialização do gás do São Francisco está previsto para 2013
O início da comercialização do gás do São Francisco está previsto para 2013

A Orteng Equipamentos e Sistemas, a Delp Engenharia e a Imetame vão explorar o gás da Bacia do São Francisco por meio da Cemes Petróleo, hoje uma das empresas integrantes do grupo Orteng. O objetivo é se preparar para a produção comercial de gás na região, que se iniciará no próximo ano, e para a perfuração de novos poços no período. O projeto exploratório vai demandar aportes, entre 2012 e 2013, da ordem de US$ 37 milhões dos dois consórcios no qual as três empresas participam juntas, segundo informações do gerente de óleo e gás da Orteng, Frederico Macedo.

Atualmente, as três empresas participam conjuntamente de dois consórcios que possuem blocos exploratórios de gás na Bacia do São Francisco, sendo um deles em parceria com a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e com a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) e o outro apenas com a segunda. Após a autorização, já pleiteada junto à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a participação das três empresas no bloco será de 51%. "A aprovação da agência deve sair até o final deste ano. Dessa forma, a empresa será majoritária nos blocos que explora atualmente", afirma.

Conforme Macedo, o consórcio teve o plano para a exploração do bloco 132, leiloado no ano de 2005, aprovado em agosto deste ano. Por essa razão, os trabalhos de exploração do insumo tiveram que ficar durante um intervalo de tempo parado, o que impossibilitou que ocorressem investimentos vultosos neste ano. Os aportes em 2012 serão de US$ 7 milhões.


Investimentos - Porém, em 2013, os trabalhos acontecerão com maior intensidade, o que demandará aporte de pelo menos US$ 30 milhões. Como os números estão sendo analisados agora pelas empresas, há chances de os investimentos serem maiores do que o previsto inicialmente. O valor será utilizado para perfuração de dois a quatro poços no bloco 132, localizado nas proximidades da cidade de Três Marias, que ocorrerá a partir de abril do próximo ano. Além disso, os gastos serão alocados em estudos sísmicos e fraturamento.

O início da comercialização está prevista para o final de 2013, mas em quantidades pouco representativas. As primeiras porções vendidas terão como foco principal o atendimento a termelétricas. Já em 2014, o volume comercializado já deverá ser mais representativo. Nos três blocos - 132, 120 e 127 - estima-se um potencial de produção de 3 trilhões a 34 trilhões de pés cúbicos. "Esses números são apenas estimativas. Ainda não fechamos exatamente quanto deverá ser porque depende do resultado dos próximos estudos e da própria exploração", afirma.

Entre 2006, quando foran iniciadas as explorações dos blocos, até 2012, o investimento total foi de US$ 35 milhões. O valor é pouco maior do que as inversões previstas para apenas 2013. Macedo explica que a proximidade de resultados práticos impulsionará investimentos maiores nos próximos anos.


Onip - O superintendente regional da Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip), Caio Múcio Barbosa Pimenta, explica que a formação de arranjos entre empresas para a exploração dos blocos de gás é muito comum no país. "Se olharmos, por exemplo, as empresas que ganharam a licitação para exploração da Bacia de Campos e as que estão de fato explorando, vamos ver a diferença. E isso ocorre porque na medida em que aumentam as informações sobre os blocos exploratórios, eles se tornam mais ou menos atrativos para outros grupos empresariais, que podem investir em conjunto nas áreas", afirma.

Outra empresa que pretende investir pesado no mercado de gás nos próximos anos é a Cemig. Nos próximos três anos ela irá aportar R$ 21 milhões na perfuração de poços. Desse total, R$ 15 milhões serão investidos ainda neste ano. Até o final de 2012, a companhia realizará a perfuração do primeiro poço na Bacia do São Francisco. Para isso falta apenas a conclusão de algumas ações, como estudos necessários. As informações são da assessoria de imprensa da distribuidora, que pretende perfurar outros poços, assim que obtiver resultados do primeiro investimento.

A Petra Energia é outra empresa que se prepara para melhorar os resultados por meio da exploração comercial do gás no Norte de Minas. Conforme informações da assessoria de imprensa do grupo, já foram perfurados, ou estão em fase de perfuração, 14 poços exploratórios no Estado, em municípios como João Pinheiro, Corinto, Quartel Geral, Presidente Olegário, Patos de Minas, Martinho Campos dentre outros. Em 2013, a empresa partirá para a fase de avaliação dos poços, etapa que antecede a exploração comercial.

O abadiaemfoco está acompanhando todo este processo e sempre postará aqui as notícias mais recentes. O desenvolvimento de Martinho Campos também é compromisso nosso!


Nenhum comentário:

Postar um comentário