abadiaemfoco

sexta-feira, 24 de maio de 2013

X-9

Pergunte ao oráculo: De onde vem o termo X-9 (usado para marcar alguém que fofoca, delata, entrega, etc)?
São duas as versões mais populares: um personagem de histórias em quadrinhos e um pavilhão do extinto presídio do Carandiru, aquele que ficou famoso com o Mano Brown, o Drauzio Varella e alguns policiais do bem. A versão mais provável delas para Ari Riboldi, autor do livro A CPI das Palavras”, é a do agente secreto que surgiu em tirinhas de jornais americanos na década de 30:
“Inicialmente sem nome, conhecido apenas como Secret Agent X-9, ele cumpria o papel simultâneo de detetive particular e de agente secreto que trabalhava para uma agência que também não tinha nome”, explica. O X-9 infiltrava-se entre os contraventores utilizando suas gírias e copiando seus hábitos para descobrir o seu modus operandi. Logo, ele tinha lá um jeitinho de traidor.
Já a história do pavilhão do presídio paulistano, palco do massacre de 111 pessoas em 1992, baseia-se nos tipos de detentos que seriam a maioria por lá. Ou seja, o Pavilhão 9 (não o grupo, nem a torcida) era aonde iam os réus primários – e, reza a lenda, havia muitos delatores por lá.
(Superinteressante)

Nenhum comentário:

Postar um comentário