abadiaemfoco

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Estiagem



Olhando a paisagem exuberante do cerrado mineiro, em especial aqui na região do centro-oeste, me deparo com lindos pés de Ipê, amarelos, roxos e rosas; e centenas de caraíbas com suas folhas amarelas enfeitando um cenário magnífico e rico em biodiversidade.
Porém a beleza mágica que setembro oferece para nós se contrasta com a falta de chuvas  que paira sobre a região, deixando os cerrados e a paisagem quase secas, num cinza amarelado que entristece nossos corações.
O mais triste porém é pensar que eu (você) também temos culpa nisso. Quando jogamos um lixo em local inapropriado, quando fazemos fogueiras indevidas, quando cortamos uma árvore e não plantamos outra, etc.
Somos o ocaso da devastação do meio ambiente e tampouco estamos preocupados (claro que existem exceções). Vale fazer uma reflexão sobre nosso trato com a mãe Natureza.
Um visitante ao passar por aqui certamente irá se horrorizar com o nível dos rios, principalmente o Pará, um grande afluente do Velho Chico, que peleja corajosamente em correr, mesmo que seja um fiapo de água cristalina.
Sei que Deus não nos deixará morrer à seca. Todavia, somente São Pedro e oração não trarão de volta o verde e o esplendor de nossa paisagem. Precisa ser feito um trabalho de regeneração da mata e muita consciência ecológica, caso contrário, nossos descendentes só verão a exuberância do cerrado vivo em fotos, pinturas e figuras de facebook.


Nenhum comentário:

Postar um comentário