abadiaemfoco

terça-feira, 17 de maio de 2016

Sabedoria 8/Pensando

1.Ela estende seu vigor de uma extremidade do mundo à outra e governa todas as coisas com felicidade.

2.Eu a amei e procurei desde minha juventude, esforçei-me por tê-la por esposa e me enamorei de seus encantos.

3.Ela mostra a nobreza de sua origem em conviver com Deus, ela é amada pelo Senhor de todas as coisas.

4.Ela é iniciada na ciência de Deus e, por sua escolha, decide de suas obras.

5.Se a riqueza é um bem desejável na vida, que há de mais rico que a Sabedoria que tudo criou?

6.Se a inteligência do homem consegue operar, o que, então, mais que a Sabedoria, é artífice dos seres?

7.E se alguém ama a justiça, seus trabalhos são virtudes; ela ensina a temperança e a prudência, a justiça e a força: não há ninguém que seja mais útil aos homens na vida.

8.Se alguém deseja uma vasta ciência, ela sabe o passado e conjectura o futuro; conhece as sutilezas oratórias e revolve os enigmas; prevê os sinais e os prodígios, e o que tem que acontecer no decurso das idades e dos tempos.

9.Portanto, resolvi tomá-la por companheira de minha vida, cuidando que ela será para mim uma boa conselheira, e minha consolação nos cuidados e na tristeza.

10.Graças a ela, receberei as honras das multidões, e, embora jovem como sou, o respeito dos anciãos.

11.Reconhecerão a penetração de meu julgamento, e excitarei a admiração dos reis.

12.Se me calo, esperarão que eu fale; se falo, estarão atentos; e se prolongo meu discurso, levarão a mão à boca.

13.Por meio dela obterei a imortalidade, e deixarei à posteridade uma lembrança eterna.

14.Governarei povos e as nações ser-me-ão submissas.

15.Príncipes temíveis estarão cheios de medo ao ouvirem falar de mim; mostrar-me-ei bom para com o povo e valoroso no combate.

16.Recolhido em minha casa, repousarei junto dela, porque a sua convivência não tem nada de desagradável, e sua intimidade nada de fastidioso; ela traz consigo, pelo contrário, o contentamento e a alegria!

17.Meditando comigo mesmo nesses pensamentos, e considerando em meu coração que a imortalidade se encontra na aliança com a Sabedoria,

18.a alegria perfeita na sua amizade, contínua riqueza na sua atividade, inteligência nas lições de seus entretenimentos familiares, e glória na comunicação de suas sentenças, saí à sua procura a fim de possuí-la em mim.

19.Eu era um menino vigoroso, dotado de uma alma excelente,

20.ou antes, como era bom, eu vim a um corpo intacto;

21.mas, consciente de não poder possuir a sabedoria, a não ser por dom de Deus, (e já era inteligência o saber de onde vem o dom), eu me voltei para o Senhor, e invoquei-o, dizendo do fundo do coração:

Um comentário: