abadiaemfoco

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Boa notícia para os pequenos produtores rurais

O Governo de Minas Gerais, por meio da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), avançou no atendimento a um compromisso histórico com os mineiros. Por meio do Programa de Eletrificação Rural, consumidores rurais de 774 municípios da área de concessão, que não foram atendidos em gestões anteriores, entraram na rota prioritária da empresa para, até o final de 2018, receberem de vez a energia elétrica. “No início de 2015, verificou-se que a Cemig tinha 30 mil obras de ligação de consumidores em atraso, e as solicitações de obras continuaram chegando, aumentando o total para 40 mil”, explica o diretor de Relacionamento Institucional e Comunicação da Cemig, Luis Fernando Paroli. Com o Programa de Eletrificação Rural, completa Paroli, “esse número já diminuiu para 17.500 obras em atraso”. Atingir 100% dos consumidores rurais (50 mil famílias) da área de concessão que vivem sem luz na zona rural é, justamente, o grande objetivo do programa. Para beneficiar as mais de 200 mil pessoas envolvidas, a Cemig está com investimentos alocados na construção de mais 15 mil quilômetros de rede (40 mil transformadores e milhares de postos), um dos maiores projetos de infraestrutura do Brasil. “Só no ano passado, a Cemig investiu R$ 800 milhões no total, entre obras urbanas, rurais e manutenção na rede”, aponta Paroli. “O que a Cemig fez, em 2016, vai acontecer de novo em 2017. Vão chegar mais dez mil pedidos de ligação rural, mas serão feitas 20 mil ligações e ficarão menos de 5 mil para 2018. Até o meio do ano que vem, a Cemig encerra todas as obras em atraso e aí vai atendendo naturalmente os novos pedidos que forem chegando”, completa o diretor. Entre 2015 e 2016, 21 mil unidades consumidoras já foram ligadas por meio do programa. A iniciativa também faz parte do Plano para Enfrentamento da Pobreza no Campo – Novos Encontros, lançado, em junho de 2016, pelo governador Fernando Pimentel. BENEFÍCIOS - O Programa de Eletrificação Rural impacta diretamente na vida das pessoas que, finalmente, poderão usufruir da energia elétrica. São benefícios como conservação de alimentos e vacinas, o bombeamento de água para consumo próprio e irrigação de cultura de subsistência, a utilização de aparelhos elétricos para tratamentos especiais de saúde, a inserção cultural por meio do acesso à TV, maior tempo de estudo diário, entre outros avanços. Destaque, ainda, para o aumento de processos produtivos agrícolas e, consequentemente, maior renda para as famílias atendidas, além do aquecimento das economias locais, com maior produção industrial, geração de empregos, e diversos outros benefícios diretos e indiretos. A casa de Eunice Guieiro, da zona rural de São Gonçalo do Rio Preto, está entre as que já receberam a ligação de energia elétrica. Feliz, ela conta que, agora, quer ver a mesma satisfação no rosto do vizinho, que receberá a energia em breve. “A luz chegou aqui. Até mesmo para receber as pessoas é muito importante, meus filhos que chegam, meus netinhos, que gostam de assistir televisão, mexer no celular”, conta. “Estou muito feliz. Já tem banheirinho com água quente, está muito bom aqui para mim”, acrescenta. Satisfação também para Geraldo Marques, do Sítio Natureza, que lembra como era tudo mais difícil antes da chegada da energia. “Eu não tinha uma geladeira para guardar comida”, afirma. Com os amigos que vinham passear, era muito desconfortável para recebê-los, já que, à noite, conta Geraldo, todos visitantes ‘caçavam um jeito de escapulir’. “Hoje, pelo contrário: tem energia em casa, geladeira funcionando. As visitas até dobraram”, revela. Vale lembrar que os atendimentos às propriedades são feitos por conta da Cemig, sem qualquer pagamento por parte das pessoas. Além disso, os moradores que possuem o Número de Inscrição Social (NIS), ou seja, que são contemplados pelos programas do Governo federal, recebem, gratuitamente, um kit básico para instalação interna, que contém um padrão de entrada, um ramal de conexão, três lâmpadas fluorescentes e duas tomadas.
(Diário Oficial de Minas Gerais)

Nenhum comentário:

Postar um comentário