abadiaemfoco

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Em dia com a Bíblia/Eclesiástico 33


"1.Aquele que teme o Senhor não será surpreendido por nenhuma desgraça. Mas Deus o protegerá na provação, e o livrará de todo o mal. 2.O sábio não odeia nem os mandamentos nem os preceitos. Ele não se despedaçará como uma nave na tempestade. 3.O homem sensato crê na lei de Deus, e a lei lhe é fiel. 4.Aquele que esclarece uma pergunta, prepara a resposta; depois de assim ter orado, ele será atendido. Ele concentra as suas idéias e depois responde. 5.O coração do insensato é como as rodas de um carro, e o seu pensamento é semelhante a um eixo que gira. 6.O amigo zombador é como o garanhão, que relincha debaixo de qualquer um que o monta. 7.Por que um dia prevalece sobre outro dia, uma luz sobre outra luz, um ano sobre outro ano, (provindo todos) do mesmo sol? 8.Foi a ciência do Senhor que os diferenciou, quando criou o sol que atende às suas leis; 9.ele distinguiu os tempos e os dias de festa, nos quais os homens celebram pontualmente as solenidades. 10.Entre eles há alguns que Deus elevou e consagrou; a outros pôs no número dos dias comuns. Foi assim que Deus tirou todos os homens do solo e da terra de que foi formado Adão. 11.Em sua grande sabedoria, o Senhor os distinguiu, e diversificou os seus caminhos. 12.Entre eles, alguns foram abençoados e exaltados, outros foram santificados, e ele os tomou para si. Entre eles, alguns foram amaldiçoados e humilhados, os quais ele expulsou de seu lugar de exílio. 13.Como o barro está nas mãos do oleiro, que o molda e o dispõe, 14.dando-lhe todas as formas que deseja, assim é o homem na mão de quem o criou, e que lhe retribuirá segundo o seu juízo. 15.Diante do mal está o bem; diante da morte, a vida, assim também diante do justo está o pecador. Considera assim todas as obras do Altíssimo; estão sempre duas a duas, opostas uma à outra. 16.E eu fui o último que despertei, e fiz como o que junta os grãos depois da vindima. 17.Eu também esperei na bênção de Deus, e enchi a tina como o vindimador. 18.Olhai que não trabalhei só para mim, mas para todos os que buscam a doutrina. 19.Ouvi-me, ó poderosos e todos os povos! E vós, chefes da assembléia, escutai-me! 20.Ao teu filho, à tua mulher, ao teu irmão, ao teu amigo, não concedas autoridade sobre ti durante tua vida. Não dês teus bens a outrem, para não te arrependeres e teres de tornar a pedi-los. 21.Enquanto viveres e respirares, que ninguém te faça mudar a esse respeito, 22.porque é melhor que os teus filhos te peçam, do que estares tu olhando para as mãos de teus filhos. 23.Em tudo o que fizeres conserva a tua autoridade; 24.não manches o teu bom nome. (Somente) no fim de tua vida, no momento da morte, distribuirás a tua herança. 25.Para o jumento o feno, a vara e a carga. Para o escravo o pão, o castigo e o trabalho. 26.O escravo só trabalha quando corrigido, e só aspira ao repouso; afrouxa-lhe a mão, e ele buscará a liberdade. 27.O jugo e a correia fazem dobrar o mais rígido pescoço; o trabalho contínuo torna o escravo dócil. 28.Para o escravo malévolo a tortura e as peias; manda-o para o trabalho para que ele não fique ocioso, 29.pois a ociosidade ensina muita malícia. 30.Ocupa-o no trabalho, pois é o que lhe convém. Se ele não obedecer, submete-o com grilhões, mas não cometas excessos, seja com quem for, e não faças coisa alguma importante sem ter refletido. 31.Se tiveres um escravo fiel, que ele te seja tão estimado como tu mesmo. Trata-o como irmão, porque foi pelo preço de teu sangue que o obtiveste. 32.Se o maltratares injustamente, ele fugirá; 33.se ele for embora, não saberás a quem perguntar, nem onde deverás procurá-lo." 


Nenhum comentário:

Postar um comentário