abadiaemfoco

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Professora de português é acusada de praticar bullying com alunos

(Do jornal Super)
A direção da Escola Municipal Isabel Nascimento de Matos, no bairro Petrolândia, em Contagem, na Grande BH, recebeu denúncias de pais de pelo menos quatro crianças de que a professora de português da instituição estaria praticando bullying com os alunos, que têm entre 10 e 11 anos de idade.
 
As atitudes da educadora têm indignado os pais das crianças, que são estudantes  do 3° ano do segundo ciclo, o que corresponde a antiga quinta série. "Minha menina tinha feito educação física e ela tem o cabelo cacheadinho. Depois que ela saiu da educação física, um dia, o cabelo dela ficou um pouco arrepiado por causa do suor e a professora perguntou se ela teria tomado um choque. Isso fez com que os outros coleguinhas começassem a chamá-la de teaser, aquela arma de dar choque", conta uma das mães que ficou indignada ao ouvir o relato da própria filha.
 
Ela ainda conta que depois disso teve que levar a criança no psicólogo, o rendimento escolar caiu no último bimestre e ela pediu para fazer uma escova progressiva por causa das piadas. "A professora até pediu desculpa para a minha filha, mas eu não esperava que isso acontecesse. Dos alunos a gente até espera esse tipo de brincadeiras, mas do professor, a gente imagina, no mínimo, que ela tenha um pouco de ética. Minha filha falou que não tem mais vontade de estudar. É difícil arrumar outra vaga, vou ter que esperar até o ano que vem para mudá-la de escola", conta.
 
Além disso, a mesma menina foi abordada pela professora, certa vez, que disse que ela tinha que emagrecer por estar com uma bochecha de bulldog. "Essas coisas afetam muito a autoestima de uma criança de 11 anos. Ela emagreceu muito de uns tempos pra cá, não queria se alimentar. Minha filha tem 11 anos, uma criança não entende esse tipo de coisa, ela já vai crescer complexada", disse.
 
A mãe ainda conta que, na mesma classe, tem uma criança que, devido a um problema, não cresce e faz tratamento com endocrinologista há anos. "A professora falou pra essa menina que ela não vai crescer mais não", conta. 
 
Outra mãe denunciou a professora à direção da escola após o filho dela, de 11 anos, falar que a educadora coloca apelidos nos coleguinhas dele. "O meu filho mesmo não recebeu nenhum apelido, mas ele ficou tão assustado que me contou o que viu acontecer com os colegas. Dois alunos da sala dele têm dificuldades de aprendizagem e a professora falou que eles iriam passar direto, pois eram doentes mentais. Além disso, meu filho já relatou que a professora chamou um menino de donzela e viado. Ensino meu filho a respeitar os professores, mas espero que eles também respeitem meu filho de volta”, contou. 
 
A diretora da escola, Vânia Adelita, contou que está apurando a situação e que já conversou com os pais de quatro alunos que teriam sido vítimas do bullying da professora. Vânia também contou que a professora alegou que não teria dito as ofensas da forma como os alunos falaram. Na escola, uma reunião entre a direção, as crianças afetadas, os respectivos pais e a professora está marcada para esta sexta-feira (27).

Nenhum comentário:

Postar um comentário