abadiaemfoco

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Cuidado com os escorpiões nesta época


O abadiaemfoco, em sua função social, vem alertar sobre um fenômeno comum neste mês de outubro. A proliferação de escorpiões. Para isso vamos nos ater nesta reportagem do Estado de Minas que fala sobre o problema.
"A chegada do mês de outubro traz uma alerta para a população em relação os cuidados com um animal perigoso, o escorpião. Nesse período, o Hospital João XXIII registra, em média, 100 atendimentos de vítimas de picadas, conforme dados da Unidade de Toxicologia. O hospital é referência no atendimento desses casos em Belo Horizonte. Os números de morte provocadas pelo escorpionismo em todo o estado preocupam. Em 2012, o balanço parcial aponta para 22 óbitos e no ano passado foram 32 mortes. Em dois anos, 81 pessoas morreram em Minas por causa da picada.
O escorpião é um bicho sorrateiro que deve ser combatido com a manutenção de ambientes limpos e eliminação de entulhos. Eles comem insetos, principalmente baratas, e se multiplicam nos locais onde há alimento. De acordo com o coordenador do Serviço de Toxicologia, Délio Campolina, as crianças são mais sensíveis às alterações provocadas pelo veneno, por isso é muito importante a urgência no antedimento.”Tem que ficar atento e não perder tempo com medidas caserias, vá direto onde tem o soro”, afirma. 

Segundo o médico, as pessoas picadas apresentam náuseas, taquicardia, vômitos e suor excessivo. Os sintomas são provocados pela liberação de adrenalina e outras substância no corpo, em decorrência do veneno. O quadro mais grave, geralmente em crianças, pode evoluir para edemas pulmonares que provocam a morte. É importante que o local de atendimento tenha além do soro, um suporte avançado com capacidade para entubação.

Nos adultos, em 90% dos casos o sintoma é apenas dor no local picado. Os escorpiões geralmente atacam pés e mãos, pois se escondem nas roupas e sapatos. Segundo o médico, sempre que possível as pessoas devem recolher e levar o animal que picou para o hospital, desde que isso não atrapalhe a urgência do atendimento. Segundo ele, a identificação da espécie ajuda no diagnóstico e nas ações de zoonose. "


O abadiaemfoco foi procurado e informado a respeito deste fato, principalmente nas imediações do cemitério municipal aqui da Badia. Já está evidente a proliferação e pedimos à Vigilância Sanitária que verifique estes focos para que não ocorram acidentes.
informamos também que cada cidadão deve manter limpos sua casa e seu quintal para que não haja refúgio para este animalzinho perigoso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário